Aos sócios dos Bombeiros Voluntários de Coimbra

João Silva

Ao iniciar este ano de 2012 dirijo-me a V.ª Ex.ª cumprindo o dever de informar e explicitar aquelas que são as grandes questões que se colocam a esta instituição, que vai fazer 123 anos no próximo dia 7 de Abril, e solicitar a imprescindível ajuda neste que é um tempo de dificuldades mas queremos, também, que seja um tempo de oportunidades.

Relativamente a 2001 há alguns aspectos fundamentais que importa sublinhar, no contexto da gestão aberta, transparente e promotora da revitalização e modernização da associação, que nortearam este primeiro ano de gestão dos actuais corpos sociais.

Em primeiro lugar, como elemento altamente positivo, a manutenção de um elevado nível de actuação do Corpo de Bombeiros que continuou a realizar uma intensa actividade com competência e mérito. Depois, pela negativa, as graves dificuldades financeiras, resultantes, por um lado, dos aumentos sucessivos dos custos dos combustíveis, água, electricidade, gás, etc., a que acresceu uma quebra brutal dos apoios habitualmente recebidos através de donativos de empresas e sócios. Por outro lado, os apoios institucionais continuaram a ser diminutos para a actividade realizada e no que toca aos sócios o saldo acabou por se revelar negativo, dado que houve uma acentuada diminuição, sem a correspondente reposição do seu número. Finalmente, a grande esperança de podermos realizar a ambicionada remodelação, ampliação e modernização das nossas instalações, face à aprovação pela Câmara de Coimbra do pedido de informação prévia que apresentámos, para intervir no espaço actual.

Assim, para 2012, entende-se que com a mesma dedicação e entusiasmo há que trabalhar muito para conseguir encontrar os meios financeiros imprescindíveis a uma gestão corrente equilibrada e, simultaneamente, os meios necessários ao reforço de apetrechamento e preparação do Corpo de Bombeiros e ao desenvolvimento dos projectos de arquitectura e especialidades para a renovação das instalações, sem os quais não é possível avançar com qualquer projecto de obras. Para conseguir este desiderato é fundamental, em primeiro lugar, o apoio dos sócios. Depois o apoio da cidade, das empresas e da generalidade das instituições. E, finalmente, do poder político, da câmara.

Há que pôr fim, de uma vez por todas, à situação verdadeiramente chocante das instalações dos Bombeiros Voluntários de Coimbra, que são das piores, senão as piores, do país. Não é aceitável que esta situação se continue a verificar em Coimbra, para mais quando temos o embrião de uma solução que é não apenas de modernização de um quartel urbano de bombeiros, com a importância social, económica e até psicológica que isso significa, mas também de intervenção e construção de cidade, numa área altamente carenciada de atenção e requalificação.

Temos perante nós um enorme desafio, para mais num contexto depressivo de crise e num ano que se adivinha particularmente difícil, mas o que quero sublinhar é a vontade férrea desta direcção de tudo fazer para transformar as dificuldades em oportunidades e de revitalizar uma Associação que há mais de 120 anos se identifica com o destino de Coimbra.

Aos sócios deixa-se o desafio e o apelo: sejam a nossa alma e a nossa força. Apoiem a Associação. Tragam mais sócios mas, sobretudo, tragam as vossas ideias, a vossa força, o vosso entusiasmo. A partir da próxima semana, todas as quartas-feiras, a partir das 15 horas, estaremos aqui na Associação – Av. Fernão de Magalhães, 179 – Coimbra –, ao vosso dispor para, em conjunto, fazermos avançar esta casa rumo ao desejado futuro. Vamos constituir um forte núcleo de voluntários para trabalharmos em diversas áreas, sem concorrermos ou conflituarmos com ninguém, apenas e exclusivamente a favor da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Coimbra.

O convite fica feito. É favor agendar: dia 10 de Janeiro, pelas 15 horas, nos Bombeiros Voluntários de Coimbra. Levar uma amigo(a).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*