A ARCIL perante a crise

José Manuel Marques Leandro

A crise, a troika, as medidas de austeridade, são o pão-nosso de cada dia nas conversas, nas notícias, nos lamentos ou nas desculpas de maus pagadores. Mas todos esses palavrões não são vazios de sentido. Tropeçamos com os seus reais efeitos, lutamos contra eles, tentamos aliviar consequências.

Também na ARCIL sentimos isso com intensidade. Olhamos para os 450 utentes e 200 e tal trabalhadores e lutamos para manter uma Casa que tem agora 35 anos. Os riscos foram sentidos por todos. Rapidamente se espalhou a notícia que a ARCIL enfrenta problemas económicos e financeiros como consequência daqueles palavrões malditos, mas reais de conteúdos. A reacção a essas notícias foi de preocupação, de esperança, de fé e de solidariedade com actos positivos.

A campanha “PONHA O SEU NOME NO CEO” está em marcha de bom andamento. Pessoas, empresas, famílias, aderem todos os dias à ideia de colaboração, doando 50 ou mais euros, tendo como contrapartida um pequeno azulejo com inscrição a escolher, cozido na ARCILCERÂMICA a fixar em parede do Centro de Estimulação Ocupacional (CEO). Algumas pessoas dão muito mais que 50 euros, mas só querem um azulejo.

Os serões das caixas, onde se montaram centenas de milhares de caixas em pouco tempo para satisfazer encomenda de grande empresa, foram participados por voluntários da comunidade lousanense que vieram colaborar com trabalhadores da ARCIL.

Um grupo de senhoras organiza um espectáculo que já anunciaram, cujo resultado financeiro reverterá para a ARCIL.

Outro grupo de senhoras organiza evento com a mesma finalidade. E “mais de uma centena pagou os seus quilómetros para ajudar a ARCIL e a EB nº2 em peso correu ou caminhou em homenagem ao serviço prestado pela IPSS”.

O Grupo de Concertinas da Lousã dedica o seu espectáculo de solidariedade de 2012 à ARCIL. Já o fez em 2011.

O Ministério da Solidariedade e da Segurança Social foi sensível às dificuldades, concedendo subsídio extraordinário.

Algumas empresas e pessoas optaram por oferecer prendas de Natal compradas na ARCIL. O Grupo Alves Bandeira, a EFAPEL e o Licor Beirão, assim fizeram.

Deixamos para o fim a maior prova de solidariedade responsável. Os trabalhadores da ARCIL, conhecedores das dificuldades da sua CASA, têm assumido atitudes de grande responsabilidade, cooperando com a Direcção na aplicação de medidas correctivas muito gravosas. Essa atitude teve um momento de grande significado quando, nos finais de Dezembro, por sua própria iniciativa, 90% dos trabalhadores resolveu doar valores muito significativos à ARCIL que significam, para cada um deles, grande sacrifício. É com imenso orgulho que transmitimos esta notícia e é com esta solidariedade que vamos vencer a batalha da sustentabilidade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*