Médicos “a contrato” pressionam Governo

Posted by

Um grupo de jovens médicos, maioritariamente de Coimbra, lançou um movimento de pressão contra a aplicação da grelha salarial da função pública aos médicos com contrato individual de trabalho (CIT) – situação prevista no artigo 27.º da proposta de Lei do Orçamento de Estado.

Nos últimos dias, recebeu já o apoio dos sindicatos e da Ordem dos Médicos. Intitulado Movimento ­CITUnidos, o grupo de médicos quer, agora, manter alta a pressão sobre a tutela.

Versão completa na edição impressa de 14 de novembro do DIÁRIO AS BEIRAS

4 Comments

  1. Eduardo Pereira says:

    Pois, eu percebo, entendo e apoio. Mas agora é tudo a nivelar por baixo. Queres ganhar mais?. vai para o estrangeiro, filho. Aqui a ordem é seres pobres. Senão como é que os mercados nos emprestam dinheiro? Se não houver pobres os ricos emprestam a quem? Claro que pobres, pobres , mesmo pobres …tambem não…senão depois não pagam. Remediados tambem não, senão depois pensam que são ricos e começam a querer comer todos os dias, acender as luzes na sala á noite, por um aquecimento no quarto dos filhos…não isso não. Pobezinhos quanto baste para …como é? mostrar que somos sérios e honramos os nossos compromissos. Diria o Salazar melhor que o Dr. Almeida Henriques: Pobres mas honrados!

  2. Só espero que os bons profissionais, por causa destas e outras razões impostas por aqueles que são uns autênticos inrresponsáveis, que não sabem o que estão a fazer e a impor, não se venham a baldar para os seres humanos que precisam deles, que do seu esforço sobrevivem. A saúde nunca deveria ser atingida, é certo que deveria haver algumas correcções mas, da forma que se está a impor, torna-se um perigo constante… Aos bons profissionais, que são muitos: sejam superiores a todas estas medidas e não descorem aquilo pelo que sempre acreditaram e pensaram vir a ser e a fazer, ou seja, salvar vidas a todo o custo…

    • Eduardo Pereira says:

      Minha amiga "leitora", os médicos são profissionais altamente diferenciados que lidam todos os dias com a vida de todos nós. Claro que há uns melhores que outros, mas como grupo profissional devem merecer de todos nós , que lhes pedimos para cuidarem do nosso bem mais precioso, a saúde, o maior respeito. Tenho a certeza que nenhum deles vai virar as costas quando um de nós chegar ao hospital ou Centro de Saúde a precisar de ser tratado só porque estão a ser pagos por 1200 ou 1300 € mês. Mas que é uma vergonha…é! O que este governo está a fazer, a destruição das condições de trabalho, o encerramento de Unidades de saúde não augura nada de bom. " Ah!…Eu só ganho 600€ " dirá alguém. Mas sabes tirar a dor ao teu filho? Sabes fazer nascer a tua neta? Sabes recuperar para a vida o teu pai? "Não há dinheiro" diráo os governantes deste país, mas então o dinheiro que estamos a receber da troika é só para lhes pagarmos o que devemos ficando a dever ainda mais?

  3. Carlos Cortes says:

    Esta situação é grave. Existem actualmente cada vez mais médicos a equacionarem irem para o estrangeiro. Vão decorrer no fim deste mês feiras de emprego no estrangeiro para médicos e enfermeiros em Lisboa e Porto, já muitos equacionam sair do país.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*