Centro de Artes Visuais mostra obras de Mauro Cerqueira e Pedro Medeiros

O Centro de Artes Visuais (CAV), em Coimbra, inaugura sábado a exposição “Senhor dos Aflitos”, de Mauro Cerqueira, realizada a partir do espólio de uma tipografia centenária do centro da cidade do Porto.

A exposição inédita apresenta, “sob diversas formas, os despojos de uma antiga tipografia que luta diariamente pela sobrevivência, agora reduzida apenas a um trabalhador, longe dos seus tempos áureos em que empregava mais de uma centena de pessoas”, refere uma nota de imprensa divulgada pela organização.

Patente no CAV até 26 de fevereiro, a par de “Forever yours”, de Pedro Medeiros, a mostra de Mauro Cerqueira, que vive e trabalha no Porto, inclui sete obras, em suportes de desenho, fotografia, vídeo e instalação.

“Explorando o quotidiano obsoleto de uma antiga tipografia, Mauro Cerqueira (nascido em 1982) reflete não só sobre o atual contexto económico, mas sobretudo sobre a falência de determinadas classes profissionais (e dos respetivos espaços laborais) e as transformações socioeconómicas, mas também do espaço físico, que se têm vindo a verificar nas cidades, neste caso concreto, na cidade do Porto”.

No vídeo ‘China’, entra-se “no quotidiano da tipografia e do único trabalhador que aí resiste, pontuado por diversos momentos mortos, que são, a tempos espaçados, interrompidos pelo trabalho residual que ainda subsiste e pela cadência monótona das tarefas que aqui ainda são efetuadas manualmente”.

Na obra “Expositores Portugueses” assiste-se à inventariação de diverso material de trabalho, agora obsoleto, e que, sem mais utilidade aparente, tem sido vendido a sucateiras de forma a financiar as despesas correntes da tipografia.

Forever yours”, de Pedro Medeiros, que também é inaugurada sábado, no espaço Project Room do CAV, integra-se no trabalho que o artista de Coimbra, nascido em 1969, tem desenvolvido para o projeto The Legendary TigerMan, de Paulo Furtado.

Reúne oito fotografias que apresentam “uma narrativa ficcionada sobre um taxidermista e o seu objeto de trabalho – o corpo sem vida”.

Concebida para o álbum ‘Masquerade’, do projeto Legendary TigerMan de Paulo Furtado, “esta série é agora apresentada autonomamente, de forma isolada do projeto musical, revestindo-se assim de novas leituras”.

Trata-se de “uma narrativa encenada em oito atos, que explora temas recorrentes na obra fotográfica de Pedro Medeiros, como a sexualidade, o fetichismo e o voyeurismo, o significado do tempo, ou a vida e a morte”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*