Movimento alerta para o combate à pobreza na Baixa de Coimbra

Posted by

DR

Quem, nesta manhã de segunda-feira (17), passar no Largo da Portagem, em Coimbra, não vai escapar à surpresa: assinalando de forma pouco convencional o Dia Mundial de Luta contra a Pobreza, a Associação Hemisférios Solidários produziu uma instalação com 365 pratos negros, (simbolizando uma refeição por dia) dispostos em labirinto. A intenção é dar resposta à pergunta que se impõe (o que é ser pobre?) e fazê-lo em comunidade. A iniciativa tem a sua abertura simbólica marcada para as 11H30.

Como sublinham os responsáveis pela associação de Coimbra, cujo trabalho tem acontecido sempre com os cidadãos excluídos e marginalizados da cidade – a quem preferem chamar moradores de rua – a instalação de arte participativa “Labirinto: faz xeque-mate à pobreza” pretende alertar consciências e promover as respostas de todos, cidadãos incluídos, para a “ilegalização” da pobreza.

Em termos simbólicos, afirma Eduardo Marques, presidente da associação, esta instalação é a prova do ‘yes we can!’, é a prova da luta por uma causa, da resiliência, do não conformismo, da esperança, da solidariedade”.

Este, refere ainda, “foi um projeto de iguais que falou a linguagem da pobreza, pois não existiu qualquer apoio financeiro para o mesmo apesar de ter sido pedido a grandes empresas de Coimbra, da região e mesmo a algumas empresas nacionais (cotadas em bolsa)”.

Versão completa na edição impressa de 17 de outubro do DIÁRIO AS BEIRAS

One Comment

  1. O problema muitas das vezes é saber-se se, os apoios solicitados, serão mesmo empregues naquilo a que se destinavam…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*