Habitantes da Guarda aderiram a buzinão contra cobrança nas autoestradas

DR

Centenas de condutores da Guarda participaram esta segunda-feira (17) num buzinão contra a aplicação de portagens nas SCUT (vias sem custos para o utilizador) promovido pela Comissão de Utentes Contra as Portagens nas autoestradas A23, A24 e A25.

O protesto realizado junto da rotunda da ‘Ti Jaquina’, no acesso entre a Guarda-Gare e o centro da cidade, começou pelas 17H30 e durou mais de uma hora.

“Não esperava tanta adesão, porque as ações desenvolvidas têm sido mornas. Este buzinão ultrapassou, de longe, as minhas expetativas”, disse à agência Lusa Zulmiro Almeida, elemento da comissão organizadora.

A responsável reafirmou que a aplicação de portagens irá penalizar o desenvolvimento da região e justificou a elevada adesão ao protesto “pelas recentes medidas de austeridade” anunciadas pelo governo: “Talvez as pessoas estejam a despertar mais para o problema”.

Zumiro Almeida referiu que quando as portagens avançarem não irá pagar as passagens, e deixará que o assunto seja remetido para os tribunais. “Eu sou um dos que o farei”, disse, apelando aos utilizadores que façam o mesmo “se tiverem coragem”.

Aos emigrantes, que no futuro se deslocarem a Portugal em gozo de férias e utilizarem as autoestradas da região, também pede “que protestem de toda a maneira e feitio”.

Ao protesto desta segunda-feira associou-se Marco Loureiro, presidente da Associação Académica da Guarda, que considera que a medida do governo originará “mais custos” para os alunos do Instituto Politécnico. “Numa altura de crise, as portagens podem afastar os estudantes da cidade da Guarda”, vaticinou o dirigente.

3 Comments

  1. Com tantas portagens só fazem com que as pessoas passem a utilizar cada vez mais estradas secundárias, fazendo assim que as portagens fiquem às moscas.

  2. antonio marques says:

    é muito mau ter-se que pagar portagens nesta zona desprotegida pelo governo e aonde não existem alternativas para uma boa circulação e com a crise que está aí a chegar estamos todos feitos ó bife.

  3. Pedro pires says:

    Estas pessoas estão é a fazer com que hajam mais mortes nas estradas nacionais.Foi assim perdi uma uma tia e um primo 🙁 .É este tipo de pessoas,"para mim nem as considero como isso" , que acabam por destruir ainda mais a zonas do interior..Muito triste mesmo!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*