Contra as troikas marchar, marchar! Por uma vida melhor!

Rita Rato

Gostaria o PS, o PSD e o CDS – subscritores do Pacto de Agressão e Submissão da Troika – de ter muita serenidade, tranquilidade e normalidade para tornar a vida dos trabalhadores, dos jovens, das mulheres e dos reformados portugueses num inferno enquanto constroem o paraíso dos grupos económicos e financeiros.

As troikas de cá e de lá de fora queriam com muita tranquilidade concretizar um acerto de contas da direita mais reaccionária com a Constituição de Abril e um inaceitável caminho de agravamento das injustiças e da exploração no nosso país. Queriam muita tranquilidade para alterar as leis laborais para reforçar o poder do patronato e aniquilar os trabalhadores.

Com muita tranquilidade e com o famigerado argumento da competitividade e produtividade PS/PSD e CDS querem aumentar a exploração de quem trabalha, reduzir direitos, atacar o movimento sindical e facilitar os despedimentos em Portugal.

Estas propostas de alteração à legislação laboral, além de injustas e inaceitáveis, violam clara e chocantemente a Constituição. O que esta troika pretende é à boleia da legislação laboral, alterar a obrigação constitucional de justa causa para o despedimento.

Com muita tranquilidade vão empobrecendo os trabalhadores e o povo substituindo direitos por caridade. Ao mesmo tempo vão engordando e protegendo os ricos e poderosos.

Passos Coelho e Paulo Portas vieram pedir tranquilidade. O PS diz que não vai “incendiar” as ruas. Pois bem. Querem tranquilidade mas a luta dos professores contratados, dos trabalhadores da EMEF, das trabalhadoras das cantinas das escolas da região centro, dos auxiliares de acção médica do IPO de Coimbra, da CRH no Contact Center da PT em Coimbra vai continuar.

Já hoje –1 de Outubro – as ruas e avenidas de Lisboa e Porto vão ser inundadas de homens e mulheres que não baixam os braços. Homens e mulheres que sabem que o único caminho para uma vida melhor é a patriótica derrota deste Pacto de Agressão e Submissão da Troika. E só com a luta será possível.

3 Comments

  1. cristina henriques says:

    Deve ser deve…deixem – me rir!!!
    Fominha e desemprego é o que a geração mais nova IRÁ passar!!!

  2. Confesso ser triste alguém, como a senhora, que tem acesso à informação de forma mais fácil que o cidadão comum…mesmo assim ter preguiça para a procurar. Só isso pode explicar a sua referência aos trabalhadores da CRH do call-center da PT, em Coimbra. Qual o motivo para os referenciar? Por serem mal pagos? Sim serão,decerto. Mas no mundo actual, pertencem a um grupo de atendimento que dificilmente alguma vez irá encerrar as portas…no mundo de hoje, grande parte deles são colaboradores EFECTIVOS na sua função e nunca o ordenado falha. Ora, sabendo nós que no mundo de hoje, tudo está a falhar…não conseguia, na sua prosa, citar alguém que realmente tem dificuldades? Quais os interesses que a movem para esta causa? Seis ou sete trabalhadores da CRH que em qualquer empresa já teriam sido despedidos, mas que na CRH e graças à sua ignorância, ainda passam pode vitímas?

  3. Coimbra.Verdade says:

    Confesso ser triste alguém, como a senhora, que tem acesso à informação de forma mais fácil que o cidadão comum…mesmo assim ter preguiça para a procurar. Só isso pode explicar a sua referência aos trabalhadores da CRH do call-center da PT, em Coimbra. Qual o motivo para os referenciar? Por serem mal pagos? Sim serão,decerto. Mas no mundo actual, pertencem a um grupo de atendimento que dificilmente alguma vez irá encerrar as portas…no mundo de hoje, grande parte deles são colaboradores EFECTIVOS na sua função e nunca o ordenado falha. Ora, sabendo nós que no mundo de hoje, tudo está a falhar…não conseguia, na sua prosa, citar alguém que realmente tem dificuldades? Quais os interesses que a movem para esta causa? Seis ou sete trabalhadores da CRH que em qualquer empresa já teriam sido despedidos, mas que na CRH e graças à sua ignorância, ainda passam pode vitímas?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*