Queimas e Latadas na praça da Canção só a pagar

Posted by

Foto Luís Carregã

A Turismo de Coimbra quer que a direção-geral da Associação Académica de Coimbra (AAC) e a Comissão Central da Queima das Fitas comecem a pagar pela utilização da praça da Canção. A questão vai ser debatida esta quarta-feira (28) numa reunião entre o vereador Luís Providência e os dirigentes associativos.

No encontro, o responsável pela pasta do turismo e, paralelamente, presidente da Turismo de Coimbra vai alertar os responsáveis da associação académica para o não cumprimento do acordo celebrado entre as duas entidades sobre a utilização do recinto pelas festas académicas.

Versão completa na edição impressa de 28 de setembro do DIÁRIO AS BEIRAS

21 Comments

  1. Henrique Costa says:

    A CMC está a fazer um braço de ferro para o qual não tem arcaboiço! Basta que se suspenda a Queima por um ano que a CMC fica logo entre a espada e a parede! E bem merece. A maior e melhor iniciativa cultural e desportiva da cidade e é tratada a pontapé. Já as iniciativas sem qualidade e dimensão dos amigos da câmara são sempre financiadas pela Câmara. A falta de visão e ambição da CMC é revoltante!!!

    • António Silva says:

      Tendo em conta os miseráveis dos cartazes das queimas dos últimos anos, até era um favor que faziam á cidade haver um interregno de alguns anos. Por um lado compreendo a AAC. Se a malta quer é enfrascar-se, para quê trazer boas bandas à cidade? É literalmente estar a dar pérolas a porcos. A Queima das Fitas é sim um evento CULTURAL, como diz o Sr. Henrique Costa e bem, e não uma apologia ao consumo de álcool.

  2. Será que é justo a Queima e Latada darem 1 ou 2 milhões de euros de lucro e a Associação Académica de Coimbra (AAC) e a Comissão Central da Queima das Fitas não contribuir com nada para o aluguer do espaço? E o pior no fim quem tem de fazer a manutenção do espaço são os funcionários da CMC. É por isto que o pais se encontra da maneira que está… se todos contribuíssem talvez não tivéssemos chegado a este estado!

    • Todos as custos de recuperação do espaço e beneficiência que esse levou na ultima década foi paga pelas diversas organizações de Queimas e Latadas. Os trabalhos realizados aquando da preparação de cada evento são pagos pelos mesmos. Agua, luz e Palco (o que existe de nada serve) são pagos pela mesma organização. Os funcionarios que nada fazem durante o ano todo (ex. o Sr. Flores) durante o evento são alimentados pela organização estudantil. Todos os licenciamentos que o espaço requer para aquela pratica é pago pela mesma organização. E a organização ainda vai oferecer dois a 3 mil convites pontuais a entidades como CMC, Turismo do Centro, Policia Municipal, PSP, Bombeiros, Protecção Civil, EDP Coimbra, Aguas de Coimbra, etc, etc…
      E o senhor ainda pensa que tem que pagar mais…
      Saiba que os 800 mil a 1 milhão de lucro (pouco mais do que isso), dois terços são distribuidos entre as 16 secções culturais e 27 secções desportivas, garantindo aos jovens e menos jovens a possibilidade do seu desenvolvimento cultural e desportivo, indo dos 5 anos até a idade senior, onde os apoios governamentias são escassos, quase todos vindos do Governo Civil ou da Reitoria.
      Coimbra tem o mau habito de viver a custa da Universidade, esta discussão da Câmara vem desde de 2001, ano em que foi completado os espaço, pago pelo programa Polis. toda esta discussão não passa de mais uma tentativa de aproveitamento.
      Antes de afirmar deve informar-se no meu entender.

  3. Ricardo Marques says:

    e pergunto eu sr Henrique Costa , por que não devem pagar?? se no fim da tanto lucro , e sujam td porque não pode a comissão pagar uma verba , que eu saiba a CMCoimbra ja comparticipa e mt com serviço de higiene , bombeiros electricistas e afins , axo mt bem que paguem.

  4. Quando é que se acaba de vez com estas festas de meninos armados em irreverentes, perdidos de bêbado sempre a chorar com o custo das propinas mas que depois estoiram pipas de massa em jantaradas, discotecas e noites de parque. Carreguem com força nesses parasitas, façam-nos pagar a chafurdice que causam. Estou farto de pagar impostos para chulos, muitos deles nem sequer são cá de Coimbra. Vão mas é trabalhar ó seus pseudo doutores da treta

    • nota se que nao tem formacao nenhuma ao dzr isso e se tiver entao sim a sua e da treta… pois ignorancia e o que lhe falta, quando os alunos da universidade de coimbra têm todo o direito a viver a vida académica da forma que quizerem!

      • António Silva says:

        Podem viver a vida académica como quiserem, agora não venham é com manifs a queixarem-se de que as propinas são caras quando há dinheiro para borgas e farra.
        Quando o preço da refeição social das cantinas da UC aumentou para 2.40€ caíu o carmo e a trindade, mas não têm pena de gastar bem mais que isso em noitadas. Basta ver os jardins da AAC a uma terça ou quinta à noite.
        Podem viver a vida académica como quiserem mas não sejam hipócritas.

  5. Experimente senhor 123456 mandar esses pseudo doutores da treta (se fala assim e não é gago ou lhe doeu o ego por não ter la passado ou então é daqueles que lança para o ar e se tivesse lá fazia pior) para fora da Universidade e vê para onde vai a sua cidade, como ela sobrevive. Concerteza é errado fazer à academia o que muitos alunos fazem denegrindo-a por exemplo trajando a rigor sabendo que em 69, por falta de liberdade, se tenha decretado luto académico, porém também temos de nos lembrar da receita que esses jovens trazem à cidade! Acho muito bem que paguem o aluguer ou então que paguem os custos com limpeza, electrificação, etc porque recebem bem demais para não o fazer.

    • Antigo estudante says:

      Trajes usam os ranchos. Os estudantes de Coimbra usam capa e batina. Quero tb informá-lo que o luto académico já foi levantado há mais de 20 anos! De resto acho bem que paguem o espaço e a sua manutenção durante as queimas e latadas.

      Ass.: Coimbricense Ex. estudante

  6. "Denegrindo a academia por trajarem a Rigor"…Quer o que?Que não trajem??Por amor de Deus…Os Estudantes é que fazem de Coimbra aquilo que ela é!Sem eles Coimbra torna-se numa cidade pobre, deserta, sem o seu "sustento" habitual: estaurantes, bares, cafés, etc etc, são vocês que pagam??

    • Oh Estudante também eu já fui estudante e trajei. Mas convém saber quando se traja o que representa. Trajar tem um simbolismo histórico, não fosse em momentos de crise académica uma forma de mostrar desaprovação aos poderes instituídos. Se lesse o que escrevi vi-a que eu disse que sim, que são uma força produtiva. Mas convém que saibam que ter traje não significa capacidade para praxar! Lê o código da praxe e a história da academia!

  7. É realmente verdade que Coimbra tem a fama de ser a cidade dos estudantes. No entanto é de lamentar toda a miséria/palhaçada mostrada pelos mesmos, que muitas das vezes acaba em morte, aquando dos momentos que, supostamente deveriam ser de alegria, festa e muitas outras coisas boas, por causa das bebidas ingeridas que deveiam ser proíbidas… No que diz respeito ao pagamento, entendo que todos deviam comparticipar de igual modo, pois somos todos moradores da mesma cidade, seja permanentemente quer seja temporáriamente.

  8. Diogo Alves says:

    Como ex-membro de uma Comissão Organizadora da Queima das Fitas devo dizer que a má informação leva ao mau Jornalismo.

    Seguindo uma óptica do protocolo celebrado entre ambas as partes, a Comissão Organizadora da Queima das Fitas sempre se prezou pelo cumprimento das normas deste protocolo, nomeadamente a clausula que estipula que anualmente, esta entidade deve, em parceria com a TCEM (Turismo de Coimbra, Empresa Municipal), realizar obras de beneficiação na Praça da Canção. Tal Aconteceu sempre, com a supervisão desta entidade, cumprindo assim as normas estipuladas. Mais, a Queima das Fitas após a realização da mesma contrata uma equipa profissional para uma limpeza exaustiva da Praça da Canção e zonas envolventes, sendo que durante a realização desta festa a mesma limpeza acontece diariamente.

    Os lucros "astronómicos" que se falam, ao contrario do que possam pensar, não são lucros, e se não acreditarem informem-se. São saldos "remanescentes" utilizados para financiamento da Cultura (pouca da que se faz em Coimbra dita em tom de verdade) da Academia, do Desporto (sendo a AAC o Clube mais eclético do país, e levando o nome da Universidade de Coimbra e da Cidade além fronteiras conquistando importantes galardões europeus do desporto Universitário sendo considerado o "Clube do Ano" pela EUSA), e de muitas outras coisas como ajuda a equipar residências, republicas, a comprar novos instrumentos para as tunas, a ajudar a recuperar instalações dos SASUC (uma obrigação do estado e que a Comissão da Queima das Fitas assumiu a seu cargo), entre muitas outras coisas.

    Os estudantes até poderiam viver sem Coimbra…. Mas será que Coimbra conseguiria viver sem os estudantes?
    Deixo em tom de reflexão…

  9. Estudante 1969 says:

    Adoro ver pessoas dizerem que os estudantes não fazem falta à cidade e que só sabem denegrir a cidade….Basta vir a Coimbra em tempo de férias escolares e vê-se o movimento que a cidade tem nas ruas. Mas é por essas e por outras que de ano para ano Coimbra perde estudantes para outras Universidades, é que nessas cidades não se importam que eles sujem a cidade duas semanas por ano porque sabem que o retorno nas restantes vai ser bem maior…Quanto aos estudantes de fora, foram eles que fizeram de Coimbra o que ela hoje representa e que representou no passado…Mas não, vamos fechar portas e na UC só podem estudar "coimbrinhas"…Continuem assim e vão ver que dentro de pouco tempo Coimbra ficará uma cidade igual a muitas outras do interior…Abraço aos senhores da razão

  10. Acho uma piada a esta gente. Sem os estudantes, Coimbra era uma aldeia. E toda a gente sabe disso.

  11. Diogo Freire says:

    E quem é que paga as iniciativas intelectualóides, as negociatas e a completa e ruinosa falta de justificação (por incompetência) do turismo de coimbra? e as manifestações de riqueza vergonhosa das águas de coimbra? e a súbita cosmopolitização da inútil policia municipal!

    Gostava de ver como seria Coimbra sem os estudantes a gastarem dinheiro em bares, discotecas e restaurantes, e a pagarem rendas absurdas na sua grande maioria sem que os arrendatários paguem os respectivos impostos?

    E será que alguns dos decisores e protagonistas do executivo, empresas municipais e participadas não têm interesses naquilo em que os estudantes gastam dinheiro e que tanto condenam?

  12. Fernando Pereira says:

    É conveniente não tomar a excepção, como regra… Se há Conimbricenses que apregoam, incoerentemente, a supressão das festividades académicas com o intuito debelarem todos os excessos a elas inerentes, outros há, como eu, e seguramente como 80% da população Conimbricense, que tem a perfeita noção de que a Coimbra depende quase exclusivamente desse frenesim estudantil.
    Não julguemos o todo pela parte, e não cedamos à vontade de proferir o insulto fácil. Assim como não defendo a ostracização, de quem quer que seja, da frequência desta magnânime instituição que é a Universidade de Coimbra, também me desagrada, ver serem proferidos termos depreciativos com “coimbrinhas”.
    Que Coimbra continue a ser sempre, a cidade dos estudantes (de todos), é a minha vontade.

  13. Os estudantes sempre foram bem-vindos em Coimbra, os vómitos pela rua, o ruído das festas até de madrugada que impede os moradores de desfrutar do descanso a que têm direito, e o desrespeito generalizado pelas pessoas, edifícios, etc, é que levam muitos a querer que haja LIMITES.
    Se vêm para Coimbra para estudar, devem estudar (1º), festejar (porque o lazer é parte da vida), e crescer como pessoas (não apenas no currículo), respeitando os outros e o espaço em que habitam. A frase que muito se ouve nestes dias "Coimbra é nossa" reflecte bem o sentimento de apropriação dos estudantes que muitas vezes se esquecem que o que destroem vai continuar cá quando se forem embora….
    Se Coimbra é saudade, preservemo-la para os que vêm a seguir…

  14. Sr aaaa tenho a ignorância de quem aos 12 anos já trabalhava para ajudar a família. Esses doutorzecos da treta têm muitos direitos e nenhuns deveres. Basta ver a quantidade de carrinhos de supermercado atirados para o rio depois da semana de regabofe. É para se irem habituando, pois as caixas do Continente ainda é o que os vai safando quando ao fim de 15 anos acabam finalmente os seus cursos

  15. Coimbra sempre foi uma cidade de estudantes e muito dinheiro é ganho á custa da Queima, da Latada e das actividades que com elas vêm. Até posso concordar com uma verba, mas para onde vai o dinheiro ganho? Para contratar as bandas, para programar o próximo ano, para os custos que tais actividades têm. É a CMC que paga isso?? E o turismo e dinheiro que a nossa universidade traz a Coimbra, a história e o valor que lhe dão, muitas pessoas vêm só para assistirem á Queima, e não é só a AAC que ganha com isso, então deixemos de criticismos e passemos á realidade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*