HUC avançam este mês com as operações de mudança de sexo

Posted by

Os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) vão iniciar este mês o programa de cirurgias de mudança de sexo. Segundo António Reis Marques, diretor do Serviço de Psiquiatria dos HUC, adiantou ao DIÁRIO AS BEIRAS, “as primeiras quatro pessoas que serão submetidas a esta cirurgia, na unidade de Coimbra, já foram selecionadas.

A decisão dos HUC de avançar com este tipo de cirurgia foi tomada no passado mês de março, depois de o único cirurgião que as realizava em Portugal, Décio Ferreira, ter deixado o serviço público de saúde.

Para desenvolver este programa foi criada nos HUC a Unidade de Cirurgia Reconstrutiva Genito-Urinária e Sexual, que reúne 15 especialistas de vários serviços. De acordo com Reis Marques, a equipa que desenvolverá este programa de cirurgias integra três ginecologistas, três urologistas, três cirurgiões plásticos e ainda especialistas da área da Psiquiatria e da Endocrinologia.

Versão completa na edição empressa do DIÁRIO AS BEIRAS de 7 de setembro

6 Comments

  1. Toda a gente tem direito à vida que mais desejar mas, nos tempos de crise e cortes enormes anunciados e alguns já aplicados na área da saúde, entendo que estas cirurgias deviam ficar para depois, tendo em conta que não é nenhuma doença ruim que não possa esperar, ao contrário de muitas outras pessoas que, não poderão esperar por medicamentos, atendimentos e muitas outras coisas que já há muito tempo estão a escassear nos Hospitais.

  2. penteacrinus says:

    E a minha protese da anca que está tão atrasada ?

    • Que me desculpem os dois leitores anteriores, mas os vossos comentários demonstram uma total ignorância face à realidade das pessoas que recorrem a esta cirurgia. É fácil falar quando pertencemos à maioria…

      • Tal como os dois primeiros leitores, a maioria da população pensa que a transexualidade não é uma doença, mas sim uma loucura facilmente corrigida. Nada de mais errado. Trata-se de uma doença e grave. Pode matar, através do suicídio. Por isso, pode e deve ser tratada. O que se fala na comunicação social é apenas a ponta do iceberg, por ser aquilo que é visível: a cirurgia. O percurso até lá é longo e penoso. Os meus parabéns aos Hospitais da Universidade de Coimbra, pela coragem, compreensão e dedicação.

  3. " Olhe minha senhora, não lhe podemos fazer nada. A solução seria um transplante hepático mas não é possível porque o hospital não autoriza por falta de verbas mas se o seu último desejo for mudar de sexo não se preocupe que isso resolve-se, o hospital paga!"
    Uma mudança de sexo pode requerer mais de 30 cirurgias e o nr de doentes que necessitam de transplantes hepáticos e renais é de tal forma grande que torna esta situação vergonhosa! Se há pouco dinheiro a prioridade são as situações mais urgentes e graves. É uma questão de números,e se ainda por cima estamos a pedir dinheiro ao estrangeiro para deixar morrer tanta gente em prol de alguns casos de mudança de sexo, é realmente embaraçador…

  4. Entende o Tiago que agora deveríamos pôr todos os Cardiologistas, Urologistas, Ginecologistas, Oftalmologistas, Ortopedistas etc a fazer transplantes hepáticos. Porque não também os Engenheiros ou os Juízes também a fazê-los ?
    Não vê que cada especialidade cirúrgica tem a sua competência e que quem faz e o Serviço em que é feito transplantes hepáticos nada tem a ver com a cardiologia nem as ouras Especialidades?
    Cada especialista se dedica a uma área do saber. já viu o que seria um piloto da formula 1 a pilotar o vai-vem espacial ? já viu a idiotice que disse?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*