Falta de fé na igreja e crise financeira levam cada vez mais pessoas ao exorcista

Foto Luís Carregã

Nada fazia prever aquele gesto. Maria (nome fictício) estava ajoelhada perante a imagem de Jesus Cristo crucificado. No altar, a água benta, o sal exorcizado, os óleos sagrados e o “Ritual dos Exorcismos”, muito semelhante ao usado pela igreja romana. O exorcista fez o sinal da cruz e iniciou a oração da bênção.

“Num ápice, ela saltou da cadeira como se fosse um gato e atirou-se a mim para me meter as mãos ao pescoço”, conta o padre Humberto Rolo. Foi no passado fim-de-semana, mas as marcas ainda são visíveis. “Fez-me este arranhão jeitoso na cabeça”, mostra, entre um sorriso.

Priorado de São Jorge

Em São Frutuoso, uma aldeia de caminhos estreitos e íngremes, localizada às portas de Coimbra, não faltam histórias que envolvem espíritos diabólicos e forças ocultas. E nem de propósito: é na rua das Alminhas que tudo acontece. Foi ali que, em 2009, o padre ortodoxo Humberto Rolo fundou o Priorado de São Jorge. É um dos três padres habilitados à prática do exorcismo em Portugal.

Os “clientes” de Marco de Canaveses

Desde então, não param de chegar pedidos de ajuda. No dia em que a reportagem do DIÁRIO AS BEIRAS visitou o priorado, cruzou-se com uma família de Marco de Canaveses. Pai, mãe e filha. A rapariga, de 22 anos, não come, não consegue trabalhar, o corpo, fraco, em prostração.

Anda a ser acompanhada por um psiquiatra há cerca de meio ano, mas as melhoras tardam. Vai daí, após terem visto uma reportagem na televisão sobre o padre exorcista, fizeram-se à estrada. Até S. Frutuoso, o carro contabilizou 160 quilómetros.

“Diz que é mal de inveja e aconselhou-a a rezar e a acender uma vela. Só Deus a pode curar”, conta a mãe.

O pai leva um saco com artigos religiosos que custaram cerca 20 euros. Pelo atendimento, pagou 50. “Vamos ver se valeu a pena”.

Pessoas vindas de norte a sul do país

Os pedidos de ajuda têm aumentado nos últimos meses. Desde janeiro, o padre Humberto Rolo já atendeu mais de 700 pessoas. As razões – diz – prendem-se, sobretudo com a falta de fé e com o momento de crise.

“As pessoas sentem-se desamparadas. Pensam que por não terem emprego, alguém está a fazer-lhes mal. E também há casos de pessoas com doenças meramente físicas, mas que metem na cabeça que têm tudo e mais alguma coisa. A igreja tem obrigação de desmistificar essas situações”.

Acontece, porém, que o exorcista recebe pessoas vindas de norte a sul do país, de vários países da Europa (Suiça, Polónia, França, Itália…) e até emigrantes portugueses que vêm propositadamente dos EUA e do Canadá.

Possessão demoníaca

No Priorado de São Jorge, antes de qualquer exorcismo, é preciso fazer uma consulta de diagnóstico. “Depois há certos dados que são o fio condutor que nos fazem perceber se aquele caso é ou não admitido para os casos da igreja”, adianta o sacerdote ortodoxo. Os casos, esses, são hierarquizados sendo que o mais grave é aquele que a indústria cinematográfica exibe “quase sempre de forma exagerada”.

Na possessão demoníaca uma entidade extraterrena – o demónio ou almas de defuntos – pode tomar conta do corpo da pessoa”, assegura Humberto Rolo.

Os casos de possessão completa são muito raros: em mil casos, pode haver 20. Ou seja, cerca de dois a três por cento e os sintomas podem ser os mais variados: mudanças de comportamento, doenças… “Aos poucos e poucos, a vida física, social, moral vai-se degradando. E há, até, casos mais extremos, provocados e documentados – de morte”, garante.

Demónios e bruxarias

De acordo com o exorcista, existem apenas duas razões que conduzem a estas perturbações. “Ou por ação direta do demónio ou por causa da prática de bruxarias realizadas por terceiros”, afirma.

Quando é preciso fazer um trabalho de libertação – adverte – esse trabalho deve ser feito em equipa, através das bênçãos e com muita fé e oração por parte da pessoa “possuída”.

Durante os rituais, já lhe aconteceu de tudo: foi cuspido, mordido, pontapeado, arranhado. Sabe que tem uma profissão de risco. Mas, ao contrário do diabo – que foge da cruz – , o padre Humberto garante que vai continuar a sua missão. Por Deus.

13 Comments

  1. o sacristão says:

    um oportunista a enganar as pessoas…

  2. Certamente que é um oportunista… Padre de onde e de quem?

    • Graduado says:

      Deixe de heresias! Este Pe. ajuda muita gente que não pode pagar e lógico cabe ao bom senso retribuirmos o oficio dele, pois é necessário pagar as despesas recorrentes. A manutenção de uma Igreja, os sacramentais etc… Ele também pagou para estudar. Ele também tem despesas. Quando o senhor vai ao médico, se for particular, de certeza ali já desembolsa dinheiro e se for público pode ate desembolsar uma taxa em que o restante é pago pelo governo e é mal servido servindo de cobaia para tanta medicação e não ter de chatear o sr dr. e não resolve o seu caso para além de fazer uma verdadeira farmácia em sua casa com tanta medicação que compra. Não julgue o que não conhece, não julgue porque teve algum tipo de experiência negativa ou porque ouviu o diz que me disse… Nota-se que tem dificuldades em abrir a mente para observar e sentir no coração e parte logo para o julgamento e crítica. Quando tiver frente a frente com ele então diga algo mas sem conhecê-lo é mesmo a ignorância que fala por si.É daqueles que estão sempre a criticar tudo e todos como se não tivesse os mesmo adjetivos que projeta no outro. Tudo o que falarmos dos outros é a mossa própria imagem que projetamos.Um bem haja e estude para não tornar-se um ignorante no meio de tantos outros.

      • Zé da Gândara says:

        Ei lá! Temos aqui um coro de cheerleaders do senhor exorcista que nem vos digo nem vos conto!
        Eu sem ser vidente (nem bi-dente) tenho solução para uma porção significativa dos problemas que tolhem uma maioria alargada da tugalhada – aqueles que estão a par com problemas de endividamento: a esses sugiro que antes de se endividarem tivessem:

        i)sido pragmáticos e se tivessem predisposto a adoptar um estilo de vida (de gastos, subentenda-se) à medida da carteira;
        ii)tido o cuidado de se cultivarem em aspectos financeiros (ou seja, que tivessem melhorado a sua literacia financeira);
        iii)não tivessem adoptado vícios se manifestamente não tinham dinheiro;

        Tivesse a generalidade da tugalhada observado estas três regras de ouro básicas, hoje o endividamento externo português seria inferior em quiçá mais de um terço (exclui-se o endividamento directo e indirecto do Estado, contumaz na arte de se endividar e o endividamento das empresas, geridas por analfabrutos funcionais em muitos casos, como de resto o próprio FMI disse de forma mais eloquente)…

  3. Sacanas, oportunistas, ladrões, corruptos, mentirosos, criminosos, e tantos outros atributos, nos tempos que correm, estão por todo o lado, cada vez mais, já nem sabemos quem é quem…

  4. o sacristão says:

    veja-se o sentido de "oportunidade" e do "oportunista" :

    "No Priorado de São Jorge, antes de qualquer exorcismo é preciso fazer uma consulta de diagnóstico. Custa 25 euros. Depois do exorcismo, é preciso contribuir para a compra do material gasto no ritual e comprar os remédios necessários para o tratamento. Podem ser sal exorcizado, óleos sagrados ou, simplesmente, água benta". (li aqui: http://www.ionline.pt/conteudo/9922-exorcista-o-l

    quem tem a NOBRE missão de informar, em "tempos de crise", não deve publicitar oportunistas que mais do que ajudar o que querem é ganhar espaço para "sacar" (ainda mais) dinheiro às pessoas!

    Creio que em Coimbra há acontecimentos (e sobretudo pessoas!) que mereciam ser noticia pelo serviço gratuito e generoso que com amor prestam aos outros (desde católicos, evangélicos, muçulmanos) e não se devia ocupar páginas de jornal com coisas deste género sincretista e falacioso, isso sim seria um verdadeiro serviço (in)formativo.

  5. Fiel Ortodoxo says:

    Este senhor Padre, é da Igreja Ortodoxa, e aconselha aqui o «sacristão» que é tudo oportunismo. Pergunto pois: como se financiam as igrejas? Com os donativos, com esmolas, e claro com o comércio religioso se velas, medalhas, livros e afins! Esta gente esquece-se que a igreja edifício tem agua, luz, limpeza, ornamentação, tudo isto gastos para se manter porta aberta. Além de que ; pelo menos na igreja romana; o sacerdote tem de ter o seu devido salário… afinal come e bebe como os demais!!! Ver no auxilio espiritual da Igreja Ortodoxa, apenas uma «burla», então que o Papa e os pastores pratiquem esta boa obra de ajudar espiritualmente. Mas compreende-se que as pessoas gostem de palrar sem saber do que falam: Jesus; nos Evangelhos; fazia exorcismos e deixou esse poder e ordem nas mãos dos Apóstolos, cujos sucessores que são os bispos, podem delegar num sacerdote formado para a situação. Nós crentes e leigos ortodoxos portugueses sabemos bem a «dor de cotovelo» desta gente, é que pensam que viemos «roubar-lhes» a freguesia das suas igrejas. Enfim como diz o adágio popular: pior cego é aquele que não quer ver. Deixo aqui sim como fiel o contacto do nosso Padre Humberto, e que Deus o mantenha longos anos aqui junto do seu rebanho que o acarinha e que muitas vezes tem ajudado a custo zero aqueles que nem saúde nem dinheiro têm para viver. Agora sim falem de caridade ao próximo seus hipocritas! Contacto da comunidade: 239111658 – 968044697

  6. Penso que, o que o Senhor Padre Humberto faz é de louvar, já que na Igreja Católica, nenhum Padre se mostra disponível para fazer exorcismo,nem preparação têm para o efeito; hoje infelizmente são inúmeras as pessoas a necessitarem de ajuda e não a encontram. O povo estão cada vez mais sujeitas ás maldades de gente sem escrúpulos que procuram feiticeiros e indotores do mal para as prejudicarem e a verdade é que resulta infelizmente; daí a necessidade da Igreja estar preparada para ajudar, portanto o meu louvor e gratidão a Este Grande sacerdote. Parabéns

  7. exorcizado says:

    Venho aqui publicamente agradecer ao Padre Humberto ou Dom André, pela ajuda que me deu. Recorri a médicos e psiquiatras por causa de visões que tinha de pessoas já mortas. Deixei aos poucos de viver normalmente, sempre adoentado, sem forças e sem coragem para nada. Minha mãe tinha visto uma entrevista do senhor padre Humberto na TVI e foi lá à Igreja implorar ajuda para mim, pois eu ao principio nem queria acreditar em nada destas coisas espirituais. Mas aos poucos fui como que melhorando sem saber que estava a usar agua benta e oleo santo, que a minha mãe me colocava na alimentação e nos objectos pessoais. Quando ela me contou aí sim quis ir ter com o padre pessoalmente à Igreja, assisti à sua missa que mexeu muito comigo e no fim pedi-lhe que me fizesse o exorcismo. Tive de me preparar, confessei-me, comunguei e depois de duas a três exorcismos posso afirmar que nunca mais tive visões e aos poucos retomei a minha vida normal. Hoje já não vou aos exorcismos, pois o padre humberto diz que estou estável, recuperei a minha liberdade e sobretudo tornei-me uma pessoa de fé graças a este bom homem. Senhor Padre Humberto o meu muito obrigado pelo que fez por mim! Dário Freitas

    • Zé da Gândara says:

      Parece que quem venera o Deus Jah também costuma ter visões… Assim é na Jamaica, esse proeminente país Americano, estado-modelo para o mundo em tudo e mais alguma coisa…

  8. eu precisava que me ajude o meu marido tem uma depressäo e ate agora nenhum medicamento o tem ajudado

    • Zé da Gândara says:

      Um table dance num lupanar à maneira e com ferro do bom, o senhor ficava com um sorriso de orelha a orelha… E não diga que vai daqui…

  9. Zé da bomba says:

    Então onde anda a Autoridade Tributária lá do sítio ? – O fisco deve-se por em campo. Cada consulta a 50 €, se já vai nas 700 ( e estará concerteza a falar pelo baixo), são 35.000 euros, deve ser tributado e começar a emitir recibos verdes. Na estrada por falta de uma guia num artigo de 7 euros, já apanhei 250 euros de multa. Estes habilidosos que se intitulam "padres" estão pior que os médicos e advogados…são uma cáfila – cobram-se bem e pagar impostos está quieto… que mais provas serão necessárias para o fisco atuar ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*