Duas centenas de confrades no capítulo da Confraria do Arroz e do Mar

Foto Cláudia Trindade

 

“Superou as expetativas. A forma, o local, a ementa e estas 180 pessoas a marcarem presença no nosso capítulo”, disse Jorge Caseiro, Grão Mestre Chanceler da Confraria Gastronómica do Arroz e do Mar.

A confraria assinalou, sábado (17), o VIII capítulo numa cerimónia que reuniu 35 confrarias vindas de todo o país e duas francesas: a Confrérie Cèpe du Médoc e a Confrérie de La Marmite d’Or.

As celebrações começaram com uma missa na igreja matriz, seguindo-se um desfile de confrarias, rumando ao Casino Figueira onde foram entronizados oito confrades de honra – Misericórdia-Obra da Figueira, na pessoa de Joaquim de Sousa, o cónego João Coutinho Veríssimo, há vários anos na Figueira da Foz, José António Rodrigues Pereira, do Museu de Marinha, Fernando João Caldeira Marques, cônsul em Barcelona, Pedro Botijo, pela sua ligação à restauração, João Gonçalves, chefe de cozinha do Casino Figueira, a Confrérie Cèpe du Médoc, sempre presente nos capítulos, e Guilherme Correia, a título póstumo, em representação de António Pereira Correia, autor da letra do hino figueirense (Marcha do Vapor).

Versão completa na edição impressa do DIÁRIO AS BEIRAS de 19 de setembro

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*