Despedimento coletivo em Taveiro pode ir parar a tribunal

Posted by

Foto Carlos Jorge Monteiro

À porta do cash&carry Manuel Nunes, os trabalhadores ficaram, ontem, sem mais explicações para o fecho da empresa. A insolvência não está ainda por decretar, mas ninguém – da administração ou mesmo da gerência da loja de Taveiro (em Coimbra) – está contactável. Até os telefones estão desligados.

Em Taveiro, são cerca de quatro dezenas de despedidos. Em todo o país, entre as lojas cash&carry e os supermercados “Super Sol”, são mais de 500.

Versão completa na edição impressa

3 Comments

  1. Português? Estará isto escrito em português ou na linguagem do Yoda?

  2. realmente isto não é normal estamos a ficar na merda e o estado não se importa….
    oa patroes dão insolvencia às empresas e abrem com outo nome e estão sempre bem.
    O Estado portugues que abram os olhos isto não pode continuar.
    Dão vantagens a quem vai abrir uma coisa que tinha fechado com outro nome impensável.
    POR FAVOR CONTROLEM OS QUE FOGEM AS RESPONSABILIDADES, PENSEM NOS TRABALHADORES QUE PRECISAM DOS TOSTOES PARA SOBREVIVER E ALIMENTAR OS FILHOS, NÃO ANDAMOS A ROUBAR TRABALHOS DIGNAMENTE…..
    E MUITO TRISTE……..
    FORÇA A TODOS……………….

    • Tens toda a razão mas também quem deixou a empresa chegar a este estado sabemos bem quem foi .
      Os grandes "desviavam" e os pequenos é que pagavam. Lol.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*