Renato Seabra poderá cumprir parte da pena em Portugal

DR

Renato Seabra, que está a ser julgado em Nova Iorque pela morte do colunista Carlos Castro, poderá cumprir parte da pena em Portugal, caso se prove a tese da defesa, de insanidade mental na altura do crime.

Em declarações aos jornalistas à margem de mais uma sessão do julgamento no Tribunal de Nova Iorque, o advogado do manequim, David Touger, afirmou que “caso seja comprovada insanidade mental na altura do crime”, como espera, Renato Seabra poderá vir a cumprir parte da pena estipulada em Portugal, “se o juiz assim o determinar”. “Como não é cidadão americano, tudo é possível”, disse.

David Touger afirmou ainda que na próxima sessão, a 7 de setembro, apresentará um requerimento para ter acesso aos exames médicos que a acusação possa vir a requerer, depois de, na sessão desta quinta-feira (4), Renato Seabra ter assinado um consentimento para a acusação ter acesso a relatórios médicos elaborados nos Hospitais Belevue e Roosevelt, onde foi observado, bem como do Estabelecimento Prisional Rikers, onde o jovem se encontra detido.

Seabra assinou a autorização instruído pelo advogado, depois de uma acesa troca de acusações entre a procuradora do Ministério Publico e David Touger sobre a entrega de documentação médica requerida pela acusação.

Perante esse facto, o juiz requereu que Renato Seabra assinasse a necessária autorização para que a acusação tenha acesso aos relatórios médicos originais do jovem. Com esta ação é possível que a acusação apresente um requerimento para uma análise psicológica ao acusado.

No final da sessão, Touger disse aos jornalistas que neste momento “não existem possibilidades de qualquer acordo e não existe qualquer tipo de conversações para esse efeito”. “Vamos avançar com a nossa tese baseada na insanidade mental do acusado na altura do crime”, concluiu o advogado.

Quando questionado sobre o atual estado psicológico do jovem, David Touger afirmou que, “dentro das circunstâncias, está bem, está a ser bem tratado”, e adiantou que para já “não existem razões para pedir transferência para uma instituição clínica”.

O advogado de defesa confirmou também que o jovem manequim divide uma cela no estabelecimento prisional de Rikers Island, sem adiantar com quantos reclusos.

Renato Seabra compareceu na audiência algemado, ligeiramente mais gordo, aparentando sinais de nervosismo, com semblante carregado, e vestido desportivamente. Seguiu atentamente a audiência com a ajuda de um novo tradutor.

A próxima sessão deste julgamento decorre no dia 7 de setembro, pelas 14H15, hora de Nova Iorque.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*