Rafael Carriço demitido por “mau relacionamento” com responsáveis do CAE

Posted by


Rafael Carriço já não é diretor artístico do Centro de Artes e Espetáculos (CAE). Em declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS, o vereador da Cultura da Câmara da Figueira da Foz, António Tavares, disse que a demissão se deveu a “desentendimentos com alguma gravidade”.

António Tavares acrescentou que Rafael Carriço “ofereceu alguma resistência ao esquema de trabalho introduzido pela nova chefe da Divisão da Cultura (Margarida Ferrolas), o que “provocou desarticulação e um mau relacionamento entre o diretor artístico e os diversos setores do CAE”. A direção artística deverá repartida pelos principais responsáveis do CAE.

Em conferência de imprensa realizada esta segunda-feira (1), o diretor artístico confirmou que foi “convidado a sair” e que a demissão não implicava o fim do vínculo da companhia de dança residente (Vortice) e da escola de dança, ambas dirigidas por Rafarel Carriço, com o CAE.

Foi isto que lhe disseram António Tavares e pelo presidente da câmara, João Ataíde. No entanto, o dirigente, bailarino e coreógrafo já retirou a Vortice do CAE e encerrou a escola de artes. Mas a autarquia mantém a escola aberta, com outros professores. Reabre em setembro.

3 Comments

  1. cristina henriques says:

    As vezes sem conta que se vai ao CAE para se tentar falar com alguém que foram nomeados para certos cargos e nunca se encontram!!!
    Já não é novidade nenhuma…

  2. José Guardado says:

    Só uma questão: A Vórtice era propriedade do senhor?

    • Pedro Romão says:

      Gostava de tentar perceber a sua pergunta, e desde já acho que o Sr. não está e nem nunca esteve neste contexto, era bom que se falasse do que se sabe e não andasse aqui a encher pneus.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*