Taxa publicitária “obriga” a tapar azulejos históricos na Figueira da Foz

Posted by

A Casa Encarnação, no Bairro Novo, não é uma mercearia qualquer, é o estabelecimento comercial mais antigo da cidade da Figueira da Foz.

Foi inaugurada em 1891. E os três painéis de azulejos da Águas de Carvalhelhos também não são uma trivialidade publicitária: são três peças únicas. Aliás, a marca manifestou interesse nos exemplares, mas sem pagar.

“Disseram-nos que nem no seu museu têm painéis como estes”, afiança Alzira Caldeira, da gerência da mercearia. Por outro lado, há mais de quatro anos, a firma deixou de pagar em géneros a fatura da taxa de publicidade relativa aos azulejos.

Entretanto, a autarquia procedeu à atualização do tarifário e a Casa Encarnação passou a pagar 135 euros/ano, ou seja, o dobro. Para não ter de pagar uma taxa tão elevada, a gerência decidiu tapar os painéis.

2 Comments

  1. André Tomé says:

    Como Figueirense venho mostrar por este meio a minha indignação, não com a notícia em si, mas com o que ela transmite. É de facto, vergonhoso!
    Acho que esta taxa mostra um profundo desrespeito pelos proprietários que ao longo dos anos têm tido a preocupação de preservar a história do seu estabelecimento através dos painéis de azulejos. Num período em que se fala na recuperação e requalificação dos centros históricos das nossas cidades, este é um belo exemplo de como NÃO se deve fazer este tipo de política autárquica ou mesmo estratégia para essa mesma requalificação.
    É decerto tema para uma discussão mais aprofundada.

  2. PS na câmara igual a incompetência

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*