Entrada em 2011 celebrada com nove vidas novas

Posted by

A mãe do pequeno Tomás nunca mais vai esquecer este dia assim como o cansaço que tantos jornalistas proporcionaram. O nascimento do seu terceiro filho foi notícia nacional, pois foi o primeiro a nascer em 2011. Tornou-se no primeiro bebé do ano. Mais um motivo de orgulho, portanto para os pais e irmãos. Outras oito crianças escolheram também o 1.º de janeiro para nascer. Houve, por isso, mais a dar uma alegria extra no início de mais um ano. A maternidade Bissaya Barreto recebeu três nascimentos e a Dr. Daniel de Matos um total de seis.

Começando a visita às novas crianças, na Bissaya Barreto, a primeira que foi apresentada ao DIÁRIO AS BEIRAS foi a pequena Íris Nascimento. A primeira filha de Nádia de Jesus nasceu 55 minutos depois das doze badaladas terem soado. As dores começaram ainda em 2010, mas a cesariana apenas terminou no novo ano. Aos 22 anos, Nádia recebeu nos braços a pequenina Iris, de 3,305 quilogramas e ficou “muito feliz” com a prenda de passagem de ano. Apesar do nascimento não estar previsto para esta data, viveu uma entrada no novo ano “muito diferente mas muito muito feliz”.

Com sete irmãos, a jovem mãe da Figueira da Foz pensa, mais tarde, dar um irmão à sua pequenina. Agora, e neste momento desempregada, ainda só pensa nisso, mas lá vai dizendo que “gostava de ter um rapaz e assim ficar com um casalinho”. Claro que dar tantos irmãos à sua Íris como os que tem está fora de questão.

Milgre da vida

Noutro quarto, a pequenina Joana, de 3,390 quilogramas, ficou indiferente à presença da equipa do DIÁRIO AS BEIRAS e ao flash do fotógrafo. Ao lado da mãe, Sara Coimbra, a Joana foi o primeiro filho do casal de Campo de Besteiros, Tondela. A meia-noite ainda foi passada em casa, mas a prenda do novo ano ainda chegou no dia 1. Faltavam 45 minutos para as 19H00. Admitindo que ainda é muito cedo para pensar nisso, Sara não coloca de parte a hipótese de ter mais filhos.

Salientando a equipa “espetacular” que encontrou na maternidade Bissaya Barreto, a técnica de planeamento numa indústria farmacêutica viveu “uma entrada em 2011 que foi perfeita”, descrevendo-a como uma “sensação única”. “O milagre da vida aconteceu ali”, disse. Aos 29 anos – a poucos dias de fazer 30 – a mãe Sara recebeu uma prenda antecipada. Isto porque mãe e filha escolheram janeiro para celebrar os aniversários.

Ano novo na maternidade

A meia-noite foi muito diferente do habitual. Foi na maternidade Bissaya Barreto que os pais do Martim, residentes em Mira, celebraram a entrada em 2011. O primeiro filho do casal decidiu nascer quando já passavam 45 minutos das 10 da manhã. De parto normal, com a presença do pai, “que se portou muito bem”, Martim proporcionou à mãe “uma emoção única”.

Embora a data prevista do nascimento estivesse marcada para o dia de hoje, Martim resolveu brindar os pais com uma inesquecível entrada no novo ano.

Não “estragou” os planos para esta data. Afinal, o avançado estado de gravidez de Clarisse não permitia marcar grandes festejos. “Ia passar em casa porque estava no fim do tempo”, afirmou a mãe.

Para o futuro, e estando neste momento desempregada, deseja dar um irmão ao seu pequenino. Mas, reconhece que “tudo vai depender de como será a vida” nos próximos tempos.

Seis na Daniel de Matos

Na maternidade Dr. Daniel de Matos nasceram seis crianças no primeiro dia do ano. Das seis mães apenas três aceitaram falar ao DIÁRIO AS BEIRAS.

Sara Guerreiro “pregou” uma partida aos pais e nasceu umas semanas antes do previsto, às 35 revelou a mãe Cátia Fialho. O terceiro filho da jovem, residente em Seia, nasceu com 2,500 kg e ainda assustou a mãe que pensou não chegar a tempo à maternidade. “No dia 31 estava em casa e rebentaram as águas, mais tarde vim para Coimbra”, conta. Tudo ainda a tempo de celebrar a passagem de ano, já que Sara apenas veio ao mundo às 16H20. Agora, vai juntar-se aos irmãos de dois anos e meio e de um ano. Com apenas 20 anos, a jovem mãe não pretende ter mais filhos. Por agora, garantiu, vai continuar a dedicar-se apenas aos filhos. O pai esteve presente no dia em que ano começou “com uma óptima prenda”.

Prenda de ano novo

Também durante a tarde, às 16H45, o Tomás veio ao mundo. O primeiro filho do casal oriundo da Marinha Grande nasceu com 3,270 quilogramas e uns dias antes do previsto. “O parto esteve previsto só para 15 de janeiro”, disse a mãe Lúcia Costa, que recebeu “uma excelente prenda de passagem de ano”. Apesar de ter estado na maternidade desde a noite de quinta-feira o Tomás quis esperar mais umas (largas) horas e ser… notícia. Nascer no primeiro dia do ano tem destas coisas.

Aos 32 anos, “e sempre a trabalhar até vir para a maternidade”, Lúcia Costa já decidiu que ficará quatro meses em casa com o bebé. O quinto mês será passado com o pai. Depois será uma das avós a tomar conta do neto.

Responsável por uma agência de trabalho temporário, Lúcia Costa realçou que o pai “se portou muito bem” depois de passar duas noites em claro à espera que o filho nascesse.

O primeiro do ano

Já diz o ditado que os últimos são mesmo os primeiros. Tomás, o primeiro do ano, prova isso mesmo. O terceiro filho de um casal de jovens brasileiros, residente em Cantanhede, foi a estrela deste ano novo. Foi em Coimbra que o Tomás nasceu, às 12 badaladas em ponto, e por isso o primeiro dos primeiros. Na cama da mãe, Andrecia, dormia um sono calminho e alheio a tanto mediatismo. A data, prevista era o próximo dia 22 de janeiro, antecipou-se uns dias.

Não estava previsto que fosse esta a data para o nascimento, mas o pequeno nasceu às 37 semanas e mostrou-se logo “muito calminho”. Com um irmão de seis anos e outro de 19 meses, o pequeno Tomás não teve o pai por perto no nascimento. “Estava a trabalhar”, esclareceu a mãe Andrecia.

Foi uma prenda de ano novo. Ou melhor duas. “Já não se contava com um terceiro filho”, por isso, os pais consideram que foram duas ofertas: o nascimento e a o facto de ser no início de mais um ano.

Mesmo em tempo de crise, estas mães só receberam boas notícias no primeiro dia do ano. A estas, que aqui damos conta de um pouco da história dos nascimentos dos filhos, 2011 não poderia ter começado melhor.

A estas histórias juntam-se ainda mais três nascimentos, cujas mães preferiram manter este momento no anonimato. Foram três meninas, que nasceram de cesariana, às 09H18, 16H56 e 22H20, e que, tal como os outros mãe e filhas estavam bem.

No resto do país houve, felizmente, muitos outros nascimentos no primeiro de janeiro. Em Vila Franca de Xira, a primeira bebé do ano nasceu às zero horas e um segundo. A Andreia, que pesa 2,960 quilogramas e é a primeira filha de um casal moldavo.

Curiosamente, na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, não houve registo de qualquer nascimento até às 03H00. Na Maternidade Júlio Dinis, no Porto, o primeiro nascimento de 2011, ocorreu às 02H00.

Na Guarda nasceu a Diana, filha de um casal de trabalhadores rurais de Escarigo, Figueira de Castelo Rodrigo, que nasceu com 3,80 quilogramas. A bebé que nasceu na maternidade da Guarda é o terceiro filho de um casal de 38 anos (mãe) e de 57 anos (pai) que já tem mais dois filhos, um com 13 e outro com sete anos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*