Cães atacam e matam nove ovelhas em Arganil

Posted by

Um “aparatoso desastre”. Foi desta forma que Jorge Santos, proprietário de um rebanho com 30 ovelhas e 12 borregos, e habitante de Casal de São João, freguesia de Vila Cova de Alva, Arganil, descreveu o que aconteceu na manhã de sábado, quando, depois de ter deixado o rebanho a pastar, encontrou nove animais mortos por uma matilha de cerca de seis cães.

O caso, que não é único – uma vez que também no domingo uma ovelha apareceu morta e outra ferida, num curral na localidade vizinha de Vinhó –, foi dado a conhecer à GNR local pelo próprio lesado, que alertou também a Associação de Moradores de Casal de S. João, defendendo que devem ser tomadas “providências” para resolver a situação.

“Fui pôr as ovelhas a pastar eram 09H00, até lá fiquei um bocadinho sentado. Entretanto fui ajudar um cunhado meu a matar um porco e, por volta das 10H00, a minha mulher perguntou-me onde trazia o gado”, começou por contar ao DIÁRIO AS BEIRAS o proprietário do rebanho, explicando que os animais andavam dispersos pela localidade, pelo que se deslocou até à quinta para ver o que se passava.

Rebanho fugiu

“Dei com aqueles cães no local e parte das ovelhas mortas”, lamentou. “As que se safaram foram aquelas que fugiram”, continuou, revelando que o rebanho repartiu-se em três e foram encontrados animais “no pavilhão, outros ao lado da ribeira e junto à capela de Casal de São João”.

Jorge Santos mostrou-se surpreendido com a presença dos cães, que “não saíam de lá” mesmo depois de ter aparecido “pessoal para ajudar”. “Até me arrependi de não os ter morto”, confessou, esclarecendo que não o fez porque “depois era condenado”.

Contando que não se lembra de ter acontecido uma situação do género na zona, o habitante de Casal de São João reforçou que é habitual levar o rebanho de manhã a pastar e ir buscá-lo à noite. “Nunca aconteceu nada disto”, destacou. Segundo Jorge Santos, de imediato chamou a GNR que “nem uma máquina fotográfica trazia”, contestou, tendo-lhe perguntado “quem eram os donos dos cães”. “Mas eu não sei”, respondeu.

4 Comments

  1. na minha opinião , os donos desses cães devem tomar as devidas percauções…
    é de lamentar que tais situações aconteçam…
    Se esses cães forem vadios há que haver uma maior vigia do dono do rebanho .

  2. Não não, eu moro aqui numa fazenda e também tem desses ataques de cães e a cada vez que acontece isso é umas 12 ovelhas que morrem, então se esses cachorros tem donos, tudo bem, cuide melhor e pague o desastre, agora senão tiver dono, tem que matar mesmo, porque cachorro que come ovelha só matando mesmo.
    Mas mesmo assim aqui a gente mata sim, porque senão eles voltam.

    Feeito ;DD

  3. Na minha terra, encontra – se na mesma situação já foram mortas maís de 50 ovelhas e borregos, andamos nesta barafunda, mais ou menos 2 meses á partida alguns de nós, vemos os cães durante o dia, mas não temos a certeza, que são eles, já se falou com a G.N.R. mas sem sucesso mas com a veternária, ainda está para resolver este assunto, mas também já lá foram os cães.
    Já fiz uma gaiola para os apanhar ( ERA UMA VOLIER DOS MEUS POMBOS CORREIOS PARA TOMAREM BANHO AO SOL) mas não apanhei num cão, mas sim um pobre gato, mas soltei – o temos o gado arrumado á noite e de dia andam a pastar, mas todas as noites esses cães correm os parques, para verem se está algumas para atacarem, vemos as pegadas no barro molhado derivado á chuva.
    Eu só quero apanha-los vivos para os donos pagarem bem, o mal que eles fizeram.

  4. Na nossa fazenda 4 cães invadiram o curral das ovelhas e mataram 20, voltaram atacar e foram 9, novamente atacaram foi para quase 40 ovelhas, e até hoje oa vizinhos donos dos cães, não tomaram precauções e não querem arcar com o prejuizo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*