Revogar o decreto ou taxar abertura

Posted by

A revogação do Decreto-Lei 111/2010 de 15 de outubro era a melhor prenda de Natal que a Assembleia da República poderia dar ao comércio de rua. Paulo Mendes, presidente da ACIC, acredita que só isso poderá abrir as portas à recuperação do comércio tradicional e à revitalização dos centros históricos. “Mas para que tal aconteça, o PSD tem que ter a coragem de votar ao lado do PCP, já no próximo dia 22 de dezembro”, desafia Paulo Mendes, admitindo que “é urgente reconhecer-se o erro cometido com o Decreto-Lei 111”.

Tendo participado na audiência de segunda-feira no grupo de trabalho da Comissão da Economia, aquele dirigente associativo enaltece o facto de, pela primeira vez desde que está na ACIC, 30 associações assumirem o mesmo discurso e reivindicarem da mesma forma”. “Só não percebe a mensagem quem não quer ou quem não tiver capacidade para tal”, sublinha.

Sobre a mesa estiveram assuntos considerados importantes para o setor, como os erros de excesso de licenciamento sem a realização de estudos de impacto no comércio; a revisão das leis laborais; as consequências da errada antecipação das duas épocas de saldos; o “desaparecimento” do fundo de apoio ao comércio em caso de falência que foi pago mas que ninguém sabe onde pára; a revitalização urbana dos centros históricos com a envolvência de todos, com mais moradores, mais mobilidade, mais segurança num curto prazo de tempo e as taxas municipais agora também em cima das mesas de muitas autarquias.

2 Comments

  1. Conimbricense says:

    O meu apoio ao Dr.Paulo Mendes,um lutador pelo comércio da Baixa,pela revitalização da Baixa de Coimbra, e que está a morrer lentamente.E plenamente de acordo com o desafio que lança ao PSD,ele que perfilha essa ideologia, mas que soube separar as águas e lançar um desafio ao seu Partido.É de pessoas destas que precisamos!E já agora só mais uma achega, que o PSD saiba, pelo menos desta vez, estar ao lado dos comerciantes de loja aberta nas ruas da cidade,que são a alma e osangue de uma urbe.

  2. Trab Precarios says:

    A ACIC tem ordenados em atraso aos seus colaboradores e deve centenas de milhares de euros aos seus formadores. O sr. Paulo Mendes é um lutador apenas pelo que lhe interessa, não pelas condições indignas que os seus trabalhadores têm na associação que lidera. Neste Natal não iremos comprar no comércio tradicional, até porque não temos tusto para o fazer. Peça lá ao sr. Paulo Mendes que cumpra os seus compromissos e pague a toda a gente.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*