Presidente da câmara quer “acarinhar” mercados tradicionais (com fotos)

O presidente da Câmara de Coimbra, Barbosa de Melo, defendeu hoje que “é muito importante acarinhar” os mercados tradicionais e a pequena produção agrícola do concelho.

João Paulo Barbosa de Melo, que assumiu esta semana a presidência da Câmara após Carlos Encarnação ter renunciado ao cargo, falava aos jornalistas no final de uma visita ao Mercado Municipal D. Pedro V, que constituiu o seu primeiro contacto direto com a população enquanto chefe do executivo.

“Uma economia como a de Coimbra precisa também desta economia agrícola que vive à volta do Mercado”, afirmou, salientando que “há um conjunto de pequenos produtores” nos arredores da cidade que dinamizam este espaço público com as suas vendas diretas ao consumidor.

Barbosa de Melo preconizou ainda que, face à atual crise económica no país “e em todo o mundo”, vale a pena voltar a cultivar campos agrícolas do concelho que estão abandonados.

“É melhor plantar couves do que ter silvas nesses terrenos”, exemplificou.

O novo presidente da Câmara Municipal, que antes desempenhava funções de vice-presidente de Carlos Encarnação, foi bem recebido pela generalidade dos produtores e demais negociantes que operam no Mercado D. Pedro V.

Barbosa de Melo admitiu que o Mercado Municipal “atravessa um momento que não é o melhor”, coincidindo com “um período difícil para toda a gente” ao nível económico, mas prometeu a ajuda da autarquia no sentido inverter a situação.

O novo presidente aproveitou a visita ao Mercado, que os seus antecessores também faziam habitualmente na quadra natalícia, para apresentar aos operadores o novo vereador, João Orvalho, responsável pelos mercados e feiras, entre outros pelouros, e a vice-presidente do executivo, Maria José Azevedo Santos, que já era também vereadora da Cultura.

3 Comments

  1. Deplorável, tudo isto é deplóravel.

  2. António Correia says:

    Primeiro destruiram os mercados tradicionais e o comércio familiar que dava vida À Coimbra Real. Agora, depois de beneficiarem da oligarquia, querem voltar ao passado de quem nunca nada fez em prol da sociedade. Apenas dela beneficiar.

  3. Paulo Dinis says:

    Como querem ajudar os Mercados se autorizam as grandes superficies abrirem aos
    domingos?Isso tambem não será concorrencia desleal?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*