“Gangue das Igrejas” começou a ser julgado em Arganil

Um grupo de quatro homens começou hoje a ser julgado no Tribunal de Arganil acusados de cerca de 30 furtos qualificados a igrejas e capelas naquele concelho, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

De acordo com a acusação, a que a Lusa teve acesso, o Ministério Público acusa quatro homens com idades entre os 19 e os 36 anos, residentes no concelho de Arganil, de terem furtado igrejas, capelas e alguns domicílios entre janeiro e abril de 2007.

Na acusação, consta também assaltos nos concelhos de Góis, Mira e Cantanhede.

O grupo, que ficou conhecido como o “gangue das igrejas”, integrava também uma rapariga que, entretanto, já faleceu e deixou de constar do rol de acusados.

O principal arguido, de 36 anos, encontra-se em parte incerta e faltou hoje à primeira sessão do julgamento, onde foram ouvidas cerca de 40 testemunhas de acusação.

As investigações deste processo foram concluídas em maio de 2007 pelo Núcleo de Investigação da GNR do Destacamento da Lousã, depois de quatro meses de averiguações.

Durante todo este tempo que mediou a constituição de arguidos e o julgamento, os elementos do grupo estiveram sempre em liberdade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*