Espetáculo junta 400 pessoas no palco do Teatro da Guarda

Um espetáculo comunitário que envolve mais de 400 pessoas é representado entre hoje e domingo, no Teatro Municipal da Guarda (TMG), no âmbito das comemorações locais do Centenário da República e do 811.º aniversário da cidade.

Segundo Américo Rodrigues, diretor artístico do TMG, a produção “Guarda: A República” é de grande envolvimento comunitário, contando com a participação de centenas de atores, músicos e de elementos de diversas coletividades do concelho.

“É um espetáculo da comunidade, com que a comunidade se identifica, porque participa ativamente”, declarou, indicando que o participante mais novo tem quatro anos e o mais velho 90.

O responsável disse à Lusa que o espetáculo, encomendado pela Câmara local à empresa municipal Culturguarda, que gere o TMG, e ao Trigo Limpo Teatro ACERT, de Tondela, foi produzido a partir de um guião de acontecimentos que ligam a Guarda à I República, sendo uns episódios reais e outros imaginados.

Explicou que Rebeldino é o republicano que protagoniza toda a história que evoca a República e dá relevo à cidade da Guarda e ao distrito, de onde são originários alguns vultos republicanos como Afonso Costa.

A mega produção teatral também faz referência a personagens locais como José Augusto de Castro e Carolina Beatriz Ângelo, a primeira mulher a votar em Portugal, indicou.

Ruy Malheiro, assistente de encenação do espetáculo, que foi produzido a partir de textos de Hélder Sequeira (historiador), Norberto Gonçalves (antropólogo) e António Godinho (poeta), disse à Lusa que o mesmo é “um grande desafio” profissional.

Assumiu que “é gratificante ter a oportunidade de trabalhar com tanta gente” e destaca “a dedicação” de toda a equipa envolvida.

A atriz amadora Carla Morgado, 33 anos, técnica de relações internacionais, que no palco dá corpo à personagem da Rainha D. Amélia, mostra-se satisfeita com a experiência, garantindo que está a gostar “muito” de participar na produção teatral.

“Estou a gostar bastante da experiência”, declarou o ator amador Luís Ramos, 26 anos, professor de educação física, que desempenha o papel do republicano Rebeldino jovem.

Os ensaios da peça “Guarda: A República” começaram no início do mês de setembro.

O espetáculo estreia hoje, pelas 21:30, no grande auditório do TMG, e mantém-se em cena até domingo, com representações às 21:30 (sábado) e 16:00 (domingo).

A produção tem a coordenação geral de Américo Rodrigues, que também assina o guião com José Tavares e Pompeu José.

A direção musical é de César Prata, o desenho de luz pertence a Paulo Neto e a cenografia é assinada por José Tavares e Miguel Figueiredo

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*