Derrota em tarde de desperdício

Foto de arquivo Luís Carregã

Um golo sofrido, nos “descontos”, numa altura em que jogava com menos dois jogadores, que estavam fora do relvado lesionados, porque o árbitro não quis parar o jogo e obrigou os jovens a sair para receber assistência. Foi nestas condições que a Académica perdeu, sábado, o jogo frente ao Boavista, na Mealhada.

Não está em causa a justeza do resultado, já que ambas as equipas desperdiçara variadas oportunidades para vencer a partida, que poderia ter caído para qualquer um dos lados. No entanto, os jovens conimbricenses não mereciam perder nestas circunstâncias.

Foram os forasteiros a dar o primeiro sinal de perigo, aos 11 minutos, com Bruno Fernandes a falhar um golo de baliza aberta. A Académica respondeu pouco depois, por Diogo, que cometeu semelhante proeza, na cara do guardião.

Bruno Fernandes, aos 19’, voltou a mostrar que não estava de pontaria afinada, e, três minutos depois, foi Bruno Vieira a obrigar Lionel a grande defesa.

Até ao intervalo, primeiro foi André a rematar à barra e depois Luís Borges a desperdiçar nova oportunidade.

O festival de golos falhados ficou-se pelo intervalo, mas o Boavista ameaçava marcar. Tiago Carvalho, o autor do golo, rematou à barra aos 49’.

Jorge Correia entrou e quase marcava, aos 69’, mas seria mesmo Tiago Carvalho a fazer o golo para os visitantes, na sequência de um livre.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*