Projeto educativo não se esgota nas condições da escola

As palavras de Rosário Gama foram consensuais: “não podemos esquecer que o que é mais virtuoso depende do nosso trabalho”. No dia em que o Governo inaugurou obras de restruturação em 100 escolas do país, a diretora da Secundária Infanta D. Maria – uma das contempladas pelo Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário –, quis lembrar a importância da vertente humana na consolidação do processo educativo.

Uma ideia, de resto, partilhada pela ministra do Ambiente que regressou àquele estabelecimento 48 anos depois de ali ter feito o seu exame de admissão ao liceu. “O projeto educativo não se esgota nas condições físicas de uma escola. Há outro aspeto marcante: não há sucesso num país se não existir uma aposta na requalificação das pessoas”, afirmou Dulce Pássaro que, minutos antes, tinha presidido à inauguração das obras na Avelar Brotero.

Sem esquecer os alunos – que são o núcleo central do percurso escolar –, a governante lembrou que a consolidação do sistema só será viável através da criação de melhores condições para a formação dos professores, “em condições de reforço da sua autoridade e de transmissão do enorme acervo de conhecimento que têm”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*