Perto de 20 países vão tentar o “xeque-mate” na Figueira da Foz

Posted by

Ao sétimo ano consecutivo, o evento já marcou posição e ganhou nome no panorama nacional e internacional da modalidade. Organizado pela Assembleia Figueirense, o Festival Internacional de Xadrez da Figueira da Foz arranca dia 31, prolongando-se até 7 de novembro, no Casino Figueira.

Miguel Babo, da organização, não tem dúvidas: “este é o torneio mais importante de sempre em Portugal”, afirma. São esperados na cidade entre 60 a 70 jogadores. Até ao momento, já estão inscritos representantes de 17 países, mas a organização espera reunir 20 países de todo o mundo no evento.

Ivana Furtado é a jogadora mais nova. Natural de Goa, Índia, tem apenas 11 anos. Do lado oposto da tabela etária está Joaquim Durão, um português de 81 anos, que acumulou, ao longo da sua vida, 13 títulos de campeão nacional. Ao contrário dos estrangeiros, a grande maioria dos participantes nacionais são amadores. A par de Joaquim Durão, vão também competir, entre outros, o melhor jogador português da atualidade, Luís Galego, e o próprio Miguel Babo.

O que distingue este torneio, segundo o elemento da organização, são “as belíssimas condições de jogo e a preocupação com os participantes” que, afiança, são “do melhor que há no mundo”. Para além de que, esta competição, permite que os jogadores obtenham normas e títulos.

Se dependesse exclusivamente da sua vontade, esta era uma iniciativa para se prolongar durante 80 anos, garante Miguel Babo. Contudo, a sua manutenção depende de apoios. Para além do casino, da Câmara da Figueira e da Figueira Grande Turismo, o membro da organização destaca as parcerias com a hotelaria e instituições privadas do concelho, que têm permitido a sobrevivência do festival.

Muito mais que um evento de xadrez

No entanto, este não é somente um torneio de xadrez mas sim um festival internacional da modalidade, e a vertente cultural programada pela organização procura fazer jus ao nome. Este ano, os jogadores vão ser recebidos com um recital de poesia e o lançamento de um livro de design de xadrez.

Sem esquecer também a já tradicional simultânea, onde todos os amantes, ou somente curiosos da modalidade, podem defrontar Fidel Corrales, da seleção cubana. Após uma semana de disputas e nove rondas jogadas, aquele que conseguir o derradeiro “xeque-mate” leva para casa 1.250 euros e o novo troféu do torneio, inspirado no design das novas peças de xadrez.

One Comment

  1. Pingback: Festival Internacional de Xadrez da Figueira da Foz começa dia 31/10 | Há Xadrez em Odivelas

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*