Partida de Aníbal Pinto de Castro

Escravo da escravidão

É todo aquele

Que obedece à ideologia

E não à razão

Seja qual for o escalão!

Parte, parte… amigo

Eu ainda quero ficar

Voa… voa… Voa…

Roupagem negra

Asas brancas…

Bate… bate as asas

Sobe… sobe… sobe…

Ao encontrar a eternidade

Paira, flutua… muda de rumo

Arranca… paira…

Paira sobre a tua universidade

Sei que partes desgostoso

Desgostoso com a ingratidão

Com que te trataram

Ingratidão igual

Não houvera que acontecer

Seria ou não de esperar coisa diferente,

Dos escravos da escuridão?

Que não têm o sentido da gratidão!

E mesmo havendo alguma razão

Desconhecem a compreensão.

Não conhecem o perdão!

Só a violência é a sua arma

A ignorância o seu bastão

Nada mais têm em que se aprovar…

Destroem o que estava construído

Espalham o terror e a ignorância

Para poder governar…

Parte amigo,

Deixa-nos ficar

O criador está à tua espera

Não o deixes esperar

Parte… parte…amigo

Volta… volta… sempre

Pare te podermos recordar

Ingratidão como esta não pode acontecer!

Ingratidão como esta não voltará a acontecer!

Escravos da escravidão!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*