O populismo de uma candidatura

Na entrevista que deu ao Diário As Beiras (13/10/10), o Dr. Fernando Nobre (FN) mostrou que o seu principal adversário é Manuel Alegre (MA), o que, de resto, é compreensível, sendo ele um homem com fortes referências monárquicas e de direita, enquanto MA é um conhecido republicano, socialista e de esquerda.

Se a eleição do Presidente da República é um acto político e de cidadania da maior relevância, importa esclarecer não só os referenciais politico-ideológicos de cada candidato, mas também aquilo que move as respectivas candidaturas.

O Dr. FN lança um ataque a MA assente num conjunto de afirmações e insinuações claramente reveladoras do tipo de referências em que se inspira. Evidencia todo o populismo que subjaz ao senso comum mais ingénuo quando reproduz o velho lema de que “os políticos profissionais” são incompetentes, reivindicando para si a personificação da mudança (ele seria a “lufada de ar fresco”, presume-se) e acusando os actuais protagonistas de estarem no poder há 30 anos, de beneficiarem de reformas “vitalícias” (imagina-se que a sua própria reforma será “a termo certo” como nos contratos de trabalho precários) e de terem chauffeur particular, quando ele próprio é, supostamente, a emanação directa e espontânea da “sociedade civil”, esse nome pomposo que os dirigentes de ONGs gostam de invocar para enaltecerem a sua acção de beneficência (e a importância dos volumosos fundos que gerem).

O pretensiosismo deste discurso demagógico poderia, caso o Dr. FN fosse um candidato para levar a sério, ofender todos os políticos actuais, sejam eles detentores de cargos institucionais ou não. Perdão, todos, não! Porque há um que está acima de qualquer suspeita, sendo citado na entrevista com a devida vénia. FN tece laudas aos exemplos excepcionais de “boa colheita”, ao mesmo tempo que trata Manuel Alegre como candidato de Francisco Louçã e que “traiu o seu próprio partido” (na anterior eleição presidencial). Recorde-se que isto ocorreu quando FN estava ao lado do Dr. Mário Soares e quando a maioria dos eleitores do PS “traíram” o seu partido ao votar em Alegre.

Num momento em que o desfecho das presidenciais de Janeiro do próximo ano está ainda rodeado de incertezas, e quando as sondagens conhecidas têm vindo a revelar um Cavaco Silva (CS) em quebra (apesar de ainda em vantagem) e aproximando-se perigosamente do limiar em que a segunda volta será muito provável, não deixa de ser significativo que o Dr. Fernando Nobre – que já disparou em várias direcções – apareça agora a virar a sua bateria na direcção de MA, ao mesmo tempo que, note-se, suaviza claramente a crítica a CS.

A crise em que o país mergulhou tem vindo, compreensivelmente, a desviar as atenções dos portugueses da questão presidencial, e o momento crítico em que hoje nos encontramos (na iminência de um orçamento que pode ser ou não aprovado) não nos permite fazer prognósticos sobre coisa nenhuma, sendo que quanto mais a conjuntura de curto prazo vier a exigir maior intervenção do actual presidente, mais o resultado da próxima eleição presidencial permanecerá em aberto.

O clima de instabilidade que paira no ar só pode acrescentar incerteza àquilo que já era muito incerto.

Porém, as tiradas do Dr. Fernando Nobre não podem ficar sem resposta, por parte de quem, embora sendo crítico das perversões da democracia e dos aparelhismos partidários, não confunde isso com o ataque generalizado à classe política, como faz FN, seguindo aqui a direita mais conservadora.

Pergunta-se: em que se fundamenta a invocada coerência do Dr. FN, um ex-militante da causa monárquica que ainda há um ano e pouco foi mandatário nacional do Bloco de Esquerda nas eleições europeias e que esteve com Mário Soares na sua malograda candidatura de 2006? Será uma mera coincidência que o discurso macio em relação a Cavaco Silva surja ao mesmo tempo que outras figuras (Mário Soares) se desdobram em elogios ao actual presidente e em apelos ao bloco central?

Nestas circunstâncias, terá a candidatura de FN sido engendrada para mobilizar a esquerda, ou antes o populismo da dita “sociedade civil” contra a esquerda e contra Manuel Alegre?

12 Comments

  1. KimPortugal says:

    <div class="idc-message" id="idc-comment-msg-div-104618947"><a class="idc-close" title="Click to Close Message" href="javascript: IDC.ui.close_message(104618947)"><span>Close Message</span> Comment posted. <p class="idc-nomargin"><a class="idc-share-facebook" target="_new" href="http://www.facebook.com/sharer.php?u=http%3A%2F%2 Fwww.asbeiras.pt%2F2010%2F10%2Fo-populismo-de-uma-candidatura%2F#IDComment104618947&t=I%20just%20commented%20on%20O%20populismo%20de%20uma%20candidatura%20%7C%20Di%C3%A1rio%20As%20Beiras" style="text-decoration: none;"><span class="idc-share-inner"><span>Share on Facebook</span></span> or <a href="javascript: IDC.ui.close_message(104618947)">Close MessageCongratula-me verificar que afinal Fernando Nobre já começa a causar algum prurido aos apoiantes do regime.
    Classificar esta candidatura de populista é subverter aquilo que é um movimento de cidadãos fartos duma classe política que apesar do apoio que tem vindo a ter ao longo dos anos não soube respeitar e sobretudo honrar esse capital no exercício das funções para as quais foi democráticamente eleita.
    Populista porque emana do Povo?
    Se assim é orgulho-me de fazer parte desse cada vez maior número de apoiantes, que não obstante serem confrontados recorrentemente com a afirmação de que este apoio não passa de uma tarefa quixotesca que não leva a lado algum insistem em intensificar a sua luta.
    Estamos fartos de ouvir um enorme séquito de eruditos, hábeis em fazer o diagnóstico mas pródigos em apresentar soluções. Numa era em que vemos os fundamentos basilares para a construção duma sociedade mais justa serem constante e paulatinamente reduzidos e mesmo cerceados necessitamos de gente que valorize mais o Ser Humano.
    Quem melhor do que Fernando Nobre poderia encabeçar um projecto de cidania desta natureza?
    A política nunca foi a sua profissão nem sequer motivação.
    Um homem que conhece e é conhecido internacionalmente pelo seu trabalho efectivo no apoio aos mais necessitados, que mereceu (inclusivé do próprio regime) inúmeras condecorações pelo seu trabalho em causas humanitárias. Em Portugal, através da organização que fundou, a AMI, tem abertos os Centros Porta Amiga que auxiliam inúmeras famílias carenciadas.
    Questiona-se a sua orientação ideológica por ele ter apoiado políticos à esquerda e à direita?
    Sabe o senhor que embora eu me considere social-democrata já votei em eleições tanto à esquerda do meu suposto partido como à sua direita conforme me pareceu mais adequado.
    Sei que pessoas como eu são um incómodo para os partidos que gostam de ter controlo sobre os seus arregimentados, mas isso acontece só porque ainda há alguns portugueses que pensam pela sua cabeça.
    Podemos errar mas sempre é melhor termos a percepção de que erramos por própria iniciativa do que termos sido enganados.
    Sei e sabem todos os que apoiam Fernando Nobre que na sua hipotética eleição ele não vai governar o país. Essa função compete ao governo.
    Mas uma certeza ninguém nos tira, é que teremos no Palácio de Belém alguém que saberá chamar a atenção ao governo para aquilo que é importante em Portugal – os portugueses.
    Só isso já é muito mais importante do que os intermináveis tabus e os silêncios ensurdecedores a que estamos habituados.
    Relativamente ao poeta do regime, onde andou ele nos últimos 36 anos de democracia?
    Será que basta dizer umas frases bem intencionadas para fazer dele um candidato merecedor da confiança dos eleitores?
    Relativamente ao actual presidente já todos estamos fartos da sua postura ceráfica e da sua gritante falta de intervenção a favor dos portugueses.

  2. Manuel Alegre é um péssimo produto politico, embalado em perfumada poesia, ou papel lustro, ilustrado e colorido de populismo demagógico, por natureza.

    • Evy Martins Prola says:

      Manuel Alegre solidário? Como diz nos outdoors pelo país afora?
      Primeiro é gozar com a miséria de um povo! Nesta crise gastar em outdoors?
      Segundo onde é que está a obra social e humanitária feita por Manuel Alegre?
      E onde é que está o resultado de sua responsabilidade e trabalho solidário enquanto deputado por mais de 30 anos?
      Elaborou algum projecto de lei?
      Gostaria de saber. Que mostre sua obra!

  3. Evy Martins Prola says:

    Está na hora de nós responsabilizarmos TOD@S aqueles/as que possuíam o nosso aval para gerir a "coisa pública", "o nosso dinheiro". SIM SÃO RESPONSÁVEIS!
    Manuel Alegre é responsável!
    Está na hora de nós própri@s assumirmos, as nossas responsabilidades, por colocarmos, através do voto, essas pessoas no poder!
    SIM SOMOS RESPONSÁVEIS! Erramos por acreditar!
    Está na hora da MUDANÇA!
    FERNANDO NOBRE PRESIDENTE PORTUGAL SERÁ DIFERENTE!

  4. Isabel Pereira says:

    Já todos vimos e muitos sentimos na pele ao que nos conduziu o conhecimento dos ditos referenciais político-ideológicos. Aquilo que desejo agora para o meu país e para o mundo é uma mudança significativa de paradigma político – as pessoas, em geral, e o seu bem-estar devem ser a primeira e a última das finalidades de quem desempenha um cargo público, seja ele menos ou mais importante. E como o exemplo deve vir de cima, não me ocorre ninguém mais preocupado com a humanidade – disso tem dado provas durante várias décadas. Além disso, basta conhecê-lo, ler os seus livros, ouvir a sinceridade que transparece dos seus discursos , para não ter dúvidas de que é a pessoa mais adequada para dar início a esse novo paradigma. É esta a minha profunda convicção, não radicada em qualquer filação partidária, mas na observação directa, na leitura, no conhecimento da sua obra.

  5. Manuel Alegre solidário? Como diz nos outdoors pelo país afora?
    Primeiro é gozar com a miséria de um povo! Nesta crise gastar em outdoors?
    Segundo onde é que está a obra social e humanitária feita por Manuel Alegre?
    E onde é que está o resultado de sua responsabilidade e trabalho solidário enquanto deputado por mais de 30 anos?
    Elaborou algum projecto de lei?
    Gostaria de saber. Que mostre sua obra!

  6. o que diz Fernando Nobre sobre o Orçamento de Estado. http://www.facebook.com/?ref=home#!/note.php?note

  7. manuel gaspar says:

    Inacreditável como os execráveis defensores dos "boys" do compadrio e do corporativismo se sentem ofendidos com esta candidatura. Tenham vergonha na cara. Um homem que dedicou toda a sua vida à humanidade merece mais respeito. Incomoda, não é verdade? Pois, vão ter que se aguentar porque vão certamente ter uma surpresa

  8. Clavis Prophetarum says:

    "fortes referências monárquicas e de direita, enquanto MA é um conhecido republicano, socialista e de esquerda."
    Este artigo é tão perfeito aos objetivos da candidatura desse "poeta menor" chamado Alegre que parece encomendado…
    Além de que contêm várias falácias (Nobre não é monárquico!) já cabalmente esclarecido que só podem revelar ou: má fé ou ignorância por parte do seu autor.

  9. Isabel Pereira says:

    Há cada dia mais gente a afirmar que o paradigma da política tem de mudar – Política (com maiúscula), nobre actividade vocacionada para o bem comum, e não apenas o sustentáculo do bem-estar de uns quantos privilegiados. O exercício da cidadania tem um papel fundamental a exercer nesta mudança de paradigma. Acredito, e acreditamos já muitos milhares, que este significativo movimento de pura cidadania iniciado com a candidatura do Dr. Fernando Nobre significa já o princípio da mudança. E, posto que o exemplo deve sempre vir de cima, não encontro no nosso país cidadão mais exemplar – pela sua obra, pelo seu carácter, pela sua capacidade de congregar à sua volta (conseguiu-o na AMI e está a consegui-lo na candidatura) pessoas verdadeiramente altruistras, dispostas a dar o seu tempo, a sua criatividade, os seus recursos em prol de uma causa justa, em prol de Portugal.

  10. Rui Torres says:

    Realmente, tanto Manuel Alegre como Cavaco Silva são excelentes….a fazer nada.
    Alegre está na Assembleia da Républica desde 1974 e até agora apenas fez discursos…nada realizado ou proposto por si…o que denota uma actividade proficua em prol do povo que tanto apregoa…
    Quanto a Cavaco, esteve 1 mandato como Ministro das Finanças, 2 como Primeiro Ministro e ainda 1 mandato como Presidente… e nada teve a ver com a crise que aí está…
    Será que estes senhores andaram a dormir durante este tempo?
    Ou será que apenas estiveram a olhar para o seu umbigo e os dos seus amigos mais proximos ( ou dos seus aparelhos) ?
    Fernando Nobre é um politico; já lidou com ditadores e democratas, é um Homem que correu como ninguém para ajudar o proximo, tem as portas abertas de par em par onde quer que tenha passado.
    É por diversas vezes convidado na ONU, como mais nenhum potitico Português…
    É muito mais conhecido a nivel Mundial que Alegre ou Cavaco…
    Não podemos continuar ALEGREmente a levar CAVACadas como até agora…
    Está na Hora da Mudança
    Fernando Nobre é essa Mudança

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*