Empreendedorismo, precisa-se!

A palavra empreendedorismo foi utilizada, pela primeira vez, pelo economista Joseph Schumpeter em 1950, descrevendo assim uma pessoa com criatividade e capaz de fazer sucesso com inovações. Em 1967 com K. Knight e em 1970 com Peter Drucker foi introduzido o conceito de risco: uma pessoa empreendedora precisa de arriscar em algum negócio. Muito embora a palavra tenha sido criada há já muito tempo, é agora a hora de a colocar mais do que nunca em prática!

A tão falada crise, que chegou e está bem instalada em todo o mundo, afecta claramente o nosso tecido empresarial. E quando um problema nos bate à porta, não podemos ficar a olhar para ele, esperando que desapareça por magia. É preciso, por isso, incentivar e aumentar o tecido empresarial de todo o país, em particular o do interior. Torna-se fundamental imprimir uma dinâmica de confiança e de aposta nas empresas que se alojam na nossa região.

O papel do Governo é também ele central, daí que as autarquias devam estreitar relações com a finalidade de criar sinergias conjuntas para o bem do sector empresarial e empregador das regiões do interior. É uma luta que cada autarca deve assumir em nome da sua terra, para fomentar o crescimento do emprego e da economia local.

É pura ingenuidade (ao não) achar que as coisas acontecem por acaso… porque tudo deve ser gerido com atenção e intenção, junto do poder central. Mas depois, cabe a cada concelho fomentar a criação de emprego, para que haja uma maior produção de riqueza na região e no país. Isto é fundamental e é para isso que todos devemos trabalhar.

Devemos criar condições para atrair o empreendedorismo e as novas empresas, que com elas trazem os novos empregos. Se essas novas empresas tiverem de facto condições laborais – e aí os municípios devem assumir um papel activo – terão certamente a dinâmica e a confiança necessária para obterem sucesso nas suas respectivas áreas, situação que fará um efeito “íman” e positivo na instalação de novas empresas e na criação de emprego.

Robert Hirsch, um dos actuais estudiosos do empreendedorismo, no seu livro “empreendedorismo” descreve este termo como sendo o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando o tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação económica e pessoal. Concordo inteiramente com esta descrição. Acrescento apenas: Empreendedorismo, precisa-se!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*