Crise: do diagnóstico à terapêutica

A crise é sobretudo uma crise de carácter e comportamento que leva a que os cargos sejam ocupados não por mérito mas pela bênção política e carreirismo partidário.

Seja como for deve-se servir com lealdade. Quem manda, deve fazê-lo através do exemplo e não do terror da sanção.

É preferível comandar um pelotão – 30 homens do que uma companhia de 120-150 homens – se esses homens estiverem motivados, bem preparados, determinados, sabiamente comandados – e os 120-150 homens forem indisciplinados, sem exemplo a seguir, mal comandados.

Tudo no país se tem vindo a degradar após o 25 de Abril e a razão soberana é que já chega a todos os escalões da hierarquia da obediência e do poder do comissariado político.

Há que dizer basta! Há que o Estado e as empresas digam terminou!

E, demonstrarem pelo seu procedimento que terminou mesmo!

Não tenham receio, se forem os mais aptos a assegurar o momento até os menos aptos se sentem pressionados e de bom gosto colaboram e fazem.

Na objectividade da crise a minha preocupação é a crise na agricultura.

Razões para esta crise:

– Importa-se mais de 70% do que se consome, há quem estime 85%;

– Antes do 25 de Abril importava-se apenas 15%;

– A arroba de amêndoa em casca (após o 25 de Abril) vendia-se a 2.200$00 ou 2.400$00. Hoje na bolsa de valores que é Foz Côa pagavam-na a 2,5€ (500$00);

– Fica para o agricultor do produto agrícola apenas 30% do valor por que é vendido ao consumidor. Ele que suporta todas as intempéries sejam naturais ou provocadas pela natureza ou pelo descanso dos homens.

– 1 Kg de milho vende-se a 25$00 e tem de subsídio 2$50. Quanto custa 1 Kg de broa? E a água que contém!

– Mão de obra, e não a há, subiu em flecha!

– Um cordeiro, vendia-se por cinco contos (5.000$00 – 25€). Mas há quanto tempo. Hoje vende-se pelos mesmos cinco contos, alguns pastores chegam a matar os cordeiros à nascença para tirar o leite que noutro tempo se vendia a 200$00 o litro e hoje vende-se a 160$00;

– Na minha terra chegou a haver 18 rebanhos entre ovelhas e cabras, hoje apenas três. Esses rebanhos davam pelo menos, 100 crias, que já borregos representavam, 1800 borregos x15 Kg de carne = 27.000 Kg.

– Antes a lã das ovelhas dava imenso e pagava as despesas. Num destes anos mandámos tosquiar as ovelhas, que custam 600€, e devam pela lã, que levavam, quase por favor, 75€!

E acusam os agricultores!

Por isso está tudo abandonado!

Não é por acaso que a agricultura é a primeira das culturas. Em França o primeiro ministro mandou fazer o diagnóstico da situação no país e as conclusões foram:

– A indústria está envelhecida. Nós não temos indústria.

– Temos sorte, temos boa agricultura. Nós, infelizmente, já não temos agricultura.

Não é também por acaso que a Suíça não quis aderir à União Europeia!

Algo está mal!

Deixem de nos embalar com discursos irreais!

Era bem sábio Mendes França que após a revolução aconselhou:

– Agora que perderam o Império, aprendam a viver com os vossos recursos!

Sem dúvida, um desafio difícil, mas fundamental para que o nosso país se levante do marasmo em que vive.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*