A pior altura para perder

Tudo parecia correr bem quando, aos 31 minutos, Miguel Fidalgo fazia o primeiro golo em Leiria, convertendo a primeira grande oportunidade que a Académica contruiu. Os adeptos falavam num campeonato com sabor a Europa e, em campo, a Académica crescia, após um início pouco produtivo. Tudo levava a crer que, cinco anos depois, a Académica iria vencer em Leiria, até porque, até esta partida, os leirienses tinham apenas três golos marcados e nunca tinham conseguido dar volta a um resultado. Puro engano.

A U. Leiria soube esperar, aproveitou a quebra física (principalmente nas alas) da Académica e tirou partido das bolas paradas – já se viu que são uma aflição para a Académica – para marcar, por Carlão e Zhang e vencer mais um jogo em casa. Já vão com 10 pontos conquistados em 12 possíveis no Magalhães Pessoa.

Arbitragem não agradou

Jorge Costa não poupou críticas a Elmano Santos. Uma mão marota de Bruno Miguel a puxar a camisola de Diogo Valente valeria a expulsão do “central”, mas Elmano Santos não entendeu assim. Como diz Jorge Costa, a Académica até podia “voltar a sair de Leiria com zero pontos mas a história teria sido diferente”.

Desta vez, a propensão ofensiva acabou por trair Jorge Costa. Agora, não há muito tempo para corrigir os erros. A Briosa joga já no domingo para a Taça da Liga, frente a um Arouca que tem surpreendido na primeira incursão pelos campeonatos profissionais.

Resta perceber qual o efeito que esta derrota terá sobre os comandados de Jorge Costa, que têm ainda dois desafios complicados em agenda para a Liga (Nacional e FC Porto, em Coimbra).

Depois de dois dias de folga, a equipa regressa hoje aos treinos, na academia, pelas 16H00.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*