Carlos Pascoinho rejeita as acusações da Câmara da Figueira

Posted by

Sobre Carlos Pascoinho, encarregado operacional da Divisão de Higiene e Limpeza suspenso, recaem suspeitas de ser conivente com um grupo de subordinados suspeitos de terem praticado vário ilícitos criminais e disciplinares (ver edição do dia 27). Entretanto, outros dois funcionários terão recebido a nota de culpa que conduziu à suspensão

Através do seu advogado, Carlos Pascoinho confirma que se encontra suspenso de funções no âmbito de um processo disciplinar instaurado pela câmara. Esclarece, por outro lado, que já respondeu à acusação, “aguardando serenamente o prosseguimento dos ulteriores termos do processo, no âmbito do qual nunca chegou a ser ouvido”. 

Carlos Pascoinho “rejeita e repudia todas as acusações que lhe são feitas, sendo falso que, enquanto funcionário da autarquia, tenha praticado quaisquer atos ilícitos que sejam puníveis criminal ou disciplinarmente”, refere ainda. Não obstante, prosseguem as investigações da PJ. 

O DIÁRIO AS BEIRAS sabe que o processo disciplinar de que foi alvo Carlos Pascoinho tem lacunas técnico-jurídicas. Portanto, não é de estranhar que a medida disciplinar aplicada pela câmara revele falta de eficácia. Sem embargo, a autarquia mantém-se empenhada em apurar tudo acerca do alegado “polvo” que terá operado durante vários anos na referida divisão. 

Acabaram-se as “borlas”

 À lista de alegados atos ilícitos, avançada na citada edição do nosso jornal, há ainda a acrescentar a recolha de animais. Neste particular, e no âmbito do inquérito que conduziu ao processo disciplinar de Carlos Pascoinho, José Romano também foi inquirido, na dupla qualidade de veterinário da câmara e dono do hospital veterinário Fozcanis. 

José Romano afirmou que o funcionário, ao contrário do que é suspeito, nunca levou dinheiro pelo serviços que a autarquia prestava gratuitamente. A Divisão de Higiene e Limpeza fazia recolha ao domicílio sem discriminar as clínicas veterinárias, encarregando-se ainda da eutanásia e da incineração dos animais. Desde abril deste ano, porém, o serviço passou a ser pago e o número de solicitações foi drasticamente reduzido.

6 Comments

  1. então acham que o dito cujo ia agora confessar!?

  2. É claro que o Senhor não ia nem vai confessar mas não há fumo sem fogo e que esta camara tem andado a deriva é um facto e deve de haver mais casos á que investigar prefundamente, é uma vergonha.

    • Ha que apurar a verdade e nao alimentar esta comunicação Social com o diz que disse, se ha culpados responsabilizalos, basta de fazer comentarios.
      E não deve ser dificil apurar factos.

  3. É uma vergonha o que acontece um encarregado da divisão de higiene e limpeza a praticar todos estes actos,lava a cara com os produtos que ja foram desviados……….

  4. Só quem não conhecer este senhor….
    Perguntem aos vizinhos quem ele é. Ficam logo com as dúvidas tiradas

  5. maria aldina says:

    E já agora quem é este Sr? Precisava de saber mais informações dele

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*