Dois mortos carbonizados na A1

Foto Gonçalo Manuel Martins

Um brutal acidente “ceifou”, cerca das 13H30 de ontem, duas vidas na autoestrada do norte. As vítimas – um casal “já de idade” residente no Seixal – morreram carbonizadas quando o carro em que seguiam se incendiou depois de ter colidido com outra viatura.

Do sinistro – que ocorreu cerca das 13H30 no sentido sul-norte próximo da Área de Serviço da Mealhada – resultaram ferimentos ligeiros em mais três ocupantes, que foram transportados para os HUC. Ao que o DIÁRIO AS BEIRAS apurou no local, os feridos são de Amarante.

De acordo com fonte da GNR da Mealhada, a colisão terá tido origem numa ultrapassagem mal calculada, o que acabou por originar o embate entre as duas viaturas ligeiras. As vítimas mortais viajavam num Renault 9 que se incendiou após a colisão.

“As portas ficaram bloqueadas e os ocupantes não conseguiram sair”, adiantou a mesma fonte.

Ainda houve quem tivesse tentado prestar socorro às vítimas, mas sem sucesso. “Havia um bombeiro que seguia atrás e tentou salvar os ocupantes. Não conseguiu”, adiantou uma testemunha. As chamas ainda atingiram uma pequena área de mato, junto à margem da A1, mas foram extintas de imediato.

As horas que se seguiram na A1 foram “o caos”. O trânsito esteve cortado das 14H00 às 17H23. Os automobilistas que circularam na A1 no sentido sul-norte, durante esse período, tiveram de sair no Nó de Coimbra norte, transitar pela EN1, e re-entrar no Nó da Mealhada. O corte do trânsito teve implicações na Estrada Nacional 1, com filas a formarem-se até à saída de Trouxemil (Coimbra).

Entretanto, junto ao local do acidente, não restava outra alternativa senão esperar para que a situação fosse resolvida. Centenas de automobilistas esperaram mais de duas horas para poderem seguir viagem. E muitos desesperaram. A situação piorou quando um dos muitos automobilistas –deputado social-democrata Aguiar Branco – teve autorização para passar a barreira imposta pelas autoridades. Os outros insurgiram-se.

O trânsito seria reaberto às 17H23. Foi a essa hora que os bombeiros começaram a retirar os dois cadáveres do interior do veículo, que seriam depois transportados para a delegação de Coimbra do Instituto Nacional de Medicina Legal.

No local esteve uma viatura dos Bombeiros Voluntários da Mealhada, com cinco elementos, e os Sapadores de Coimbra com duas viaturas e oito homens. Esteve ainda uma equipa do Núcleo de Investigação de Acidentes do Destacamento de Trânsito da GNR de Coimbra. O posto de trânsito da GNR da Mealhada tomou conta da ocorrência.

5 Comments

  1. Já agora gostaria de saber se o carro se incendiou derivado ser ou não movido a gpl
    as pessoas antes de falarem informem-se de como funcionam as coisas.

  2. Manuel Gomes says:

    Era bom que fosse esclarecido por que razão o sr deputado Aguiar Branco teve licença para passar o bloqueio.
    Com certeza que não vai argumentar que estava ao serviço dos Portuguese, porque isso ninguém acredita.
    Se calhar argumentou que era deputado e que tinha de passar porque só pode vir ao fim de semana visitar a familia e já estava atrasado.

  3. ESTE SENHOR DEPUTADO NÃO TEM VERGONHA. AFINAL NÃO HA TRABALHO PARLAMENTAR AO DOMINGO ?!!!!!! VIVA A VITÓRIA DA EXTREMA-DIREITA NA SUÉCIA. A LUTA CONTINUA . A VITÓRIA É CERTA

  4. cambiantevelador says:

    Não é admissível uma interrupção do trânsito durante 4 horas numa auto-estrada.
    Continua o mau trabalho prestado ao utente/cliente das vias rodoviárias concessionadas no que respeita à actuação em acidentes.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*