S. Martinho do Porto: Clube Náutico contra desclassificação do porto

O Clube Náutico de São Martinho do Porto está a promover um abaixo-assinado para contestar a eventual desclassificação do porto – o que impediria a atracagem de grande parte das embarcações.

Actualmente o porto de S. Martinho, concelho de Alcobaça, tem o estatuto de secundário e, caso seja desclassificado, passaria para núcleo de turismo e lazer.

O presidente do clube, Alexandre Quadrio, afirmou terça-feira à agência Lusa que a desclassificação “consta no Plano Regional de Ordenamento do Território do Oeste e Vale do Tejo, já aprovado”, mas a desclassificação “carece de portaria” que a coletividade “vai, por todos os meios, tentar impedir que aconteça”.

Alexandre Quadrio explicou que “o facto de não ser porto limita o tipo de embarcações que chega à baía de São Martinho”. “Um dia deste mês contabilizei 107 embarcações. Se a situação for alterada, pode afectar 90 por cento delas”, declarou, apontando as consequências da desclassificação para o tecido económico e social da vila.

O abaixo-assinado, que já reuniu centenas de assinaturas, refere que São Martinho do Porto é, “desde os tempos dos romanos, um porto natural que os monges de Cister não esqueceram na carta de foral, datada de 1257”.

One Comment

  1. João José Bernardo says:

    Realmente, embora seja natural de S. Martinho do Porto, desconhecia que desejavam alterar a classificação do porto. Admira-me, ou admiram-se de estar desinformado desta enorme mostrusidade, mas isso deve-se ao facto de desconhecer o P.R.O.T.O.V.Tejo e também de não residir na linda Vila. Mas não me espanta, dado que os "responsáveis" desta País apenas destroem o que foi à Séculos criado e bem. N~so se tenta melhorar para os presentes e para os vindouros, altera-se, para pior, só pelo facto de terem de fazer alguma coisa a fim de justificar oa seus lugares, ou cadeirões. Temos o que merecemos, dado que permitimos estas atrocidades e não se responsabiliza quem tem de ser responsabilizado, seja ele quem for. Tenho fé que esta situação não vá avante, pois o porto é importante, quer para os residentes, quer para quem nos visita, quer para quem possa vir a necessitar dali se acolher. Não nos façam mais tacanhos.Obrigado.
    João José Bernardo

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*