Regadio do Mondego concluído esta década

Posted by

Se já esperou tantas décadas, por que não esperar mais alguns anos? A verdade é que a conclusão da regularização hidrográfica do Baixo Mondego não é um tema simples e linear. Iniciadas em 1987, as obras encontram-se 80 por cento concluídas, mas os 20 por cento restantes são determinantes para o desenvolvimento agrícola daquela região.

Números astronómicos. De um total de 12 milhares de hectares, falta concluir os blocos para três mil hectares. Em paralelo, decorre o sempre difícil emparcelamento. Entretanto, foram investidos 90 milhões de euros, mas ainda é preciso investir outros 40 milhões para a obra ficar completa. O complexo de rega abrange cerca de cinco mil agricultores.

E quando é que isso vai acontecer? O processo encontra-se na fase final que antecede o lançamento do concurso público internacional. Aliás, foi anunciado na semana passada que vão avançar dois projectos infra-estruturantes na zona de Montemor e Maiorca. O ministro da Agricultura adiantou, na Figueira, que o regadio do vale do Mondego deverá ficar concluído durante a presente década, à semelhança dos restantes sistemas nacionais em curso.

Indagado acerca do assunto, António Serrano garantiu, por outro lado, que o Governo vai tentar encontrar uma forma de aplicar um preço justo da água utilizada pelos agricultores abrangidos pelo sistema de rega do Mondego. Recorde-se que o líquido precioso está a ser fornecido a título gratuito, mas uma normativa europeia sobre o consumo obriga à aplicação de tarifas.

O titular da pasta da Agricultura falava à margem dos Dons de Portugal, sábado. O evento é retomado no próximo fim-de-semana. Decorre no Palácio Sottomayor, sob o lema “Mesa do Centro”. É uma “montra” com dezena e meia de stands que promovem produtos agrícolas portugueses. Esta primeira edição, durante três fins-de-semana consecutivos, é dedicada à região. A organização fez balanço positivo dos dois primeiros períodos da mostra. O recinto é animado por colectividades do concelho e com degustações e confecção gastronómicas.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*