Inovação em termos ambientais

A Câmara de Condeixa-a-Nova é um exemplo no que se refere a boas práticas ambientais. “A autarquia, tal como muitas outras, tem uma preocupação crescente com o ambiente, visando compatibilizar o crescimento das actividades económicas e a salvaguarda ambiental com a equidade social”, garante o presidente do município Jorge Bento.

Recentemente, e consciente de que a quantidade de resíduos urbanos produzidos e depositados em aterro “é uma problemática para a qual urge criar estratégias de redução”, a Câmara de Condeixa iniciou dois projectos de compostagem doméstica direccionados para públicos alvo distintos. O primeiro, direccionado para as escolas do 1.º CEB e o segundo para munícipes que possuam espaço, nas suas habitações, para esta prática.

Nas escolas, o sucesso foi tal que, durante o ano lectivo de 2009/2010, o projecto contou com a participação de sete estabelecimentos de ensino do 1.º Ciclo e Ensino Básico, envolvendo cerca de 410 alunos envolvidos

“As crianças são francamente permeáveis a esta informação”, adianta Jorge Bento. No dia em que foi entregue o compostor e um guia prático com informação sobre a compostagem, “as crianças estavam empenhadas e muito atentas”, recordou o presidente da autarquia.

Compostagem

doméstica em moradias

No início de Junho, a autarquia iniciou o novo projecto de compostagem doméstica destinado a moradias concretizando os objectivos de desenvolvimento sustentável preconizados na estratégia ambiental do município.

Nesta primeira fase, o projecto de compostagem doméstica em moradias foi limitado a 25 famílias, a quem foram distribuídos, gratuitamente, um compostor e um guia prático, além do apoio técnico necessário à boa prática da compostagem.

“Sendo um concelho com alguma componente rural, não foi difícil encontrarmos pessoas que se disponibilizaram para monitorizarmos este processo”, refere o autarca.

O que se pretende, aqui, é incentivar a separação e aproveitamento de parte da fracção orgânica existente nos resíduos sólidos urbanos comummente produzidos nas habitações (restos de comida, resíduos de jardins, hortas e quintais). O processo natural de decomposição de matéria orgânica transforma os resíduos orgânicos num composto com aspecto e características semelhantes a solo fértil. A compostagem é uma técnica simples e eficaz de valorização de resíduos, “que poupa os custos ambientais (poluição) e económicos de transporte e deposição em aterro”.

Recorde-se que, actualmente, os resíduos municipais da Europa são encaminhados para aterro (49 por cento), incineração (18 por cento), reciclagem e compostagem (33 por cento). Apesar da reciclagem e da incineração terem aumentado, as quantidades absolutas de resíduos encaminhados para aterro não estão a diminuir face ao aumento de produção de resíduos. Com esta actividade, os habitantes e as escolas de Condeixa estão a contribuir para melhorar o ambiente do concelho, assumindo um papel activo nesta área.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*