Festival da Melancia termina no Ladoeiro

O concelho de Idanha-a-Nova espera produzir este ano cerca de duas mil toneladas de melancia, um valor avançado à Lusa por Álvaro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, na inauguração do Festival da Melancia do Ladoeiro.

O certame que termina hoje reúne cerca de 60 expositores, entre produtores de melancia e de outros produtos tradicionais, artesãos e associações locais.

A melancia do Ladoeiro é distribuída em grandes superfícies e tem vindo a ganhar adeptos.

“Este ano já estamos a vender por todo o país e é natural que as pessoas reconheçam a qualidade e venham a optar pela nossa melancia”, referiu Álvaro Rocha.

Para a sua divulgação contribuiu a Hortas de Idanha, uma empresa do sector agrícola criada recentemente, que reúne 30 agricultores e da qual a câmara municipal é sócia.

Mas há também quem produza apenas para vender pelas freguesias do concelho raiano, como é o caso de João Gregório, que este ano espera alcançar as 30 toneladas.

Produtor há 30 anos, o agricultor do Ladoeiro diz que o que faz uma boa melancia “é uma boa terra, boa água e estrume”.

Além do fruto, que é vendido a 25 cêntimos o quilo, é possível provar algumas variantes, como sumos, doces, gelados ou caipirinhas.

Criado há seis anos, o Festival da Melancia do Ladoeiro conta ainda com a eleição da melancia mais pesada e da melhor escultura feita com o fruto.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*