Festa popular arranca hoje na Carapinheira

Posted by

Durante oito dias, as vertentes religiosa e popular andam de mãos dadas em Carapinheira, Montemor-o-Velho. O motivo: as Festas em Honra de Nossa Senhora das Dores. O evento leva àquela freguesia milhares de pessoas de localidades vizinhas, assim como conterrâneos que escolheram outras paragens para viver e que, nesta altura, retornaram às origens para passar férias e matar saudades.

As festividades começaram no passado dia 19, com a missa e a procissão, que conduziu a imagem da Santa até à Capela de Santo Amaro, acompanhada pela Filarmónica de Montemor. De quinta a domingo, o programa religioso encheu a freguesia de milhares de pessoas, entre participantes e meros espectadores. Uns por devoção, outros movidos apenas pela curiosidade, o certo é que o ambiente criado foi “muito intenso”, principalmente no passado domingo, garantiu o padre José Luís. “Por tradição, é o dia que congrega mais pessoas, para participarem ou para assistir”, diz o pároco, que é também presidente da Comissão de Festas. “Muitas talvez nem sejam católicas praticantes mas estavam todas com muita veneração e respeito”, recorda.

Tudo se devia à procissão solene com a imagem de Nossa Senhora das Dores, que seguia acompanhada pelas filarmónicas de Montemor e Alqueidão. Ao contrário das procissões de velas, que decorreram a 19 e 21, imbuídas de um espírito de oração e introspecção, com momentos dedicados à reza, a procissão de domingo viveu um ambiente mais festivo.

As duas filarmónicas nunca deixaram de marcar o compasso e as três confrarias da freguesia (do Santíssimo, das Almas e de Nossa Senhora do Rosário) ajudaram a colorir este dia das festividades. Bem como os populares que se vestiram a rigor, trajados da Santa que veneravam ou de Rainha Santa Isabel.

O presidente da comissão sublinha o nível de participação “muito elevado” e a colaboração por parte das gentes da terra. “Há muitos anos que não via tantas pessoas a participar, e a participar bem”. Ou seja, explica, com a postura positiva e o respeito e dignidade que o momento exige. Acima de tudo, porém, “tem de ser uma manifestação de alegria e de vivência da fé”.

Por uma causa maior

Este ano, a festa de adoração à Santa agrega a si uma causa maior: a construção de um lar de idosos na Carapinheira. O intuito é canalizar os lucros para a construção desta obra necessária à freguesia, com uma população envelhecida e uma faixa etária muito carenciada. As necessidades dessas pessoas têm sido asseguradas pelo Centro Paroquial e Centro de Dia.

Na primeira fase do projecto, está prevista a remodelação do espaço do Centro de Dia, ao nível de intervenções na cozinha e refeitórios e também no piso superior, para que acolha alguns quartos do futuro lar. Posteriormente, o objectivo seria construir um edifício de raiz, anexo ao existente. Só a fase de arranque envolve montantes superiores a 200 mil euros.

Já foram efectuados peditórios mas os valores angariados ainda não estão apurados. Contudo, o padre José Luís adianta que não se verificou um aumento significativo relativamente aos anos transactos. Mas, afiança, “se não fosse por esta causa (o lar), as pessoas contribuíam menos devido à crise”. Outras iniciativas e peditórios irão surgir posteriormente, nos quais o pároco acredita que as pessoas “vão ser generosas e contribuir mais”.

Festa bicentenária

A Festa em Honra de Nossa Senhora das Dores realiza-se de dois em dois anos, sempre na segunda quinzena de Agosto. E, pelo menos, há 211 anos. Os primeiros registos datam dessa altura mas o padre da freguesia acredita que se já se realizam antes dessa data.

Hoje arranca o cartaz de cariz popular. Jogos tradicionais, leilões, vacadas à vara larga, actuações e bailes prolongar-se-ão por quatro dias e noites de festejos profanos.

Destaque também para os artistas que irão criar um ambiente ainda mais festivo, como Quim Barreiros, Rebeca ou Mickael Salgado que apresentarão temas bem portugueses e característicos das festas populares portuguesas. O padre José Luís afirma que a adesão costuma ser semelhante nas duas vertentes dos festejos. Por isso, as expectativas estão também muito elevadas. Até ao final das festividades, todos os eventos irão decorrer no pavilhão multiusos da Carapinheira.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*