Desordenamento… ordenados

1 – ORDENAMENTO(S) DO TERRITÓRIO e OUTRAS MEDIDAS –Precisa(m)-se. Isto a propósito de uma nota sobre ser uma boa ideia acabar com os governos civis para ajudar a colmatar o deficit. É boa. Os distritos nunca deveriam ter sido criados, mas foram uma fatalidade do “buro-centralismo” de origem napoleónica. Como, pelo contrário, as regiões já deveriam ter sido criadas, mas após ordenar o(s) Território(s) e pensar nelas “a partir de Associações de Municípios livremente constituídos” (PPM, 1974). E os “cortes” nas remunerações indexadas ao vencimento do Presidente da República também deveriam ser bem explicados. Quem “é cortado”, que remunerações são cortadas, quem é, injustamente, cortado duas vezes, por exemplo, por se encontrar entre duas entidades indexantes. E já agora, porque não acabar com o actual sistema de Chefia do Estado, que é um encargo muito mais pesado do que qualquer Monarquia Europeia?

2 – AUTOCARROS DE LONGO CURSO – É urgente uma intervenção na qualidade e segurança desses novos autocarros de passageiros, de médio e longo curso, altamente aerodinâmicos, com plaquetas interiores muito séc. XXII, mas cujos bancos não têm espaço para os passageiros, os suportes para os pés são apenas para vista e, pior, as condições ergonómicas e o espaço para uma pessoa média é diminuto. Há cerca de 40 dias, um Passageiro em viagem supostamente de férias do Norte para o Sul, porque o ocupante de trás se recusou a recuar o seu banco e o motorista, chamado a intervir, em vez de resolver o problema ainda foi grosseiro, esse Passageiro viu agravar-se uma prótese inserida numa perna, o que provocou uma reacção em cadeia, internamento num hospital algarvio, morte após dois ou três dias.

3 – MINA VAI SER PRESERVADA – Parabéns à UC na pessoa da Doutora Teresa Freitas e aos responsáveis da Câmara Municipal e do IGESPAR (Lisboa), pela conseguida preservação da mina da Rua Pedro Monteiro e respectivos túneis, cujas águas irrigam o Jardim Botânico – e também, pelo menos – co-alimentavam a zona de Celas – e que a falta de exigências de pressupostos básicos para se poder construir – entre os quais os estudos geológicos – pôs em causa a segurança de um prédio, como sucede em tantos outros casos – recordar as cheias, aliás só de média dimensão – de 2002 em Coimbra. Esperemos que desta vez a sede dos habituais interesses não consiga os seus intentos.

4 – ABATE DE ÁRVORES – “Providência cautelar foi levantada (…) relativamente ao abate de árvores, (…) na Av. Emídio Navarro”, mas “para abater as árvores”, só “desde que a pretensão seja acompanhada do respectivo relatório científico. Mais vale tarde do que nunca mas… valerá? Recente artigo de um notável cientista do Globo, o Doutor Jorge Paiva equacionou as verdadeiras raízes do problema. Sempre a falta dos necessários estudos, aconselhamento e pareceres científicos! E o alcatrão não teria privado as raízes das árvores do necessário fluir aquático? Deitar abaixo é fácil, salvo se nos confrontarmos com as “ervas do diabo”…

5 – O PRETEXTO – JOSÉ SARAMAGO morreu e com ele um dos dois prémios Nobel atribuídos a portugueses um dos quais, Egas Moniz, foi já posto em causa por certa intelectualidade científica de medíocre dimensão que de vez em quando desabrocha na nossa praça. Mas, como eu respeito a memória de Saramago – reafirmo, não sou juiz nem Deus para o julgar – desejaria, no entanto, que se não aproveitasse a sua memória para atacar os que dele discordavam. E, afinal, parece que Portugal não é assim tão mau pois, apesar de José Saramago ter acentuado recentemente as suas preferências hispânicas (melhor, ibéricas) ao celebrar no vizinho País um segundo casamento com a mesma Mulher, saliente-se, Dona Pilar del Rio já manifestou as suas preferências de passar a viver em Portugal.

6 – “DE TONDELA (…) até Santiago de Compostela, a pé, com mais 13 pessoas… “Um Deputado Católico manifesta a sua Fé, sem inibições perante aqueles que pretendem que os políticos não podem ter manifestações destas em público. Na boa linha do carismático republicano Afonso Costa, que perseguia e fechava os Católicos nas suas “casas de orações” e até mandava os seus colaboradores receber as esmolas dadas durante os “actos de Culto”. Boa viagem ao Senhor Deputado João Carlos Figueiredo e aos 13 Peregrinos. As nossas orações estão convosco.

7 – MESTRADO, JÁ! – O Conselho Nacional das Ordens Profissionais (CNOP) “exige o titulo de mestre para os alunos licenciados antes da entrada em vigor do processo de Bolonha (2006)” e colocou uma petição online para entregar na A.R. Felicitações à CNOP e que todos assinem. De muitas injustiças estamos já fartos!

PERDÃO! – Várias foram as gralhas surgidas no meu último artigo, por partida daquele que nunca tem culpa: o computador. Claro que D. Albino (e não Aníbal) Cleto já me perdoou. O DESPORTO (e não DESBORTO) não sei. A propósito da AD “… com assinaturas do saudoso Francisco Sá Carneiro e de Gonçalo Ribeiro Telles”. “Antes de entrar, o Doutor Freitas do Amaral, à frente do CDS, exigia a saída do PPM !” A outra: “Andamos por aí nas bases da nossa Centenária Nacionalidade: o PODER LOCAL”. E não “nos bares” como é óbvio para todas as centenas de Amigos Autarcas com quem convivi, até a beber um copo, é certo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*