Bombeiros assumem a tradição em festas de Fornos de Algodres

Posted by

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres (AHBVFA) assumiu este ano a realização das Festas da Senhora da Graça, um dos principais eventos de expressão religiosa daquela vila do distrito da Guarda. O presidente da instituição, Álvaro Melo, explicou que a decisão surgiu na sequência de um encontro com o município, a Associação Desportiva de Fornos de Algodres e os mordomos, e pretendeu evitar que se corresse o risco de não virem a ser realizadas.

“As verbas, devido à actual conjuntura económica do país e que afectam também o município de Fornos de Algodres, tinham sido reduzidas para estas festividades, habitualmente promovidas pela autarquia, que decidiu, também, não assumir este ano uma grande parte da realização das festas.

“Os bombeiros decidiram então organizar as festas, com as limitações em termos de orçamento, depois de se ter notado que, em pé de igualdade, não era possível promover as Festas da Senhora da Graça com a Associação Desportiva de Fornos de Algodres por falta de meios e de logística entre outras”, explica Álvaro Melo.

Tradicionalmente, a autarquia suportava por inteiro a organização, enquanto que os bombeiros voluntários e a Associação Desportiva de Fornos de Algodres ficavam incumbidos de “alguma logística em termos de pessoal para as bilheteiras, bares e restaurante, e arrecadavam a receita total das festividades”.

Este ano, o município dá um subsídio de 10 mil euros para a organização, suporta ainda os custos da banda filarmónica para as procissões e de um artista no domingo.

Álvaro Melo acredita que as festas proporcionem aos Bombeiros de Fornos de Algodres uma receita que possibilite fazer face as despesas inerentes ao esforço desenvolvido no combate aos fogos florestais.

“Esperamos que a realização desta iniciativa permita o encaixe de alguma receita para a AHBVFA, para fazer face às despesas dos florestais 2010, e aquisição de algum equipamento, assim como para a comparticipação da recuperação do primeiro carro de combate a incêndios desta instituição, que se encontra em fase de restauro, datado de 1964, conhecido pela velhinha Bedford”, disse.

Álvaro Melo apela à população para que “apesar de um programa simples, mas feito com muito sacrifício, participe activamente nas festas da terra. É que, ao mesmo tempo que se divertem e procuram esquecer os problemas do dia-a-dia, estão a contribuir para ajudar a corporação dos bombeiros.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*